Revista Viva Saúde  
alguns ciencia comer dicas dor editorial existe nutrição saude tratamento
 
 
Edição 119 | EXPEDIENTE
Clínica Geral / Home

Terapia Complementar
  Aromaterapia para curar
Saiba por que as fragrâncias e os compostos olfativos influenciam o comportamento humano, estimulam os órgãos e as suas funções e ainda agem no sistema imunológico

Cristina Almeida
Shutterstock

O uso de aromas em cuidados com a saúde é tão antigo quanto o homo sapiens. Ao longo da história, aprendemos a cultivar plantas e extrair delas óleos essenciais para os mais diversos fins. Entre os muçulmanos, a prática é considerada sagrada: no Alcorão, os perfumes são descritos como a essência da vida.
Mas a aromaterapia, ou o uso do olfato e dos óleos essenciais como tratamento curativo, foi idealizada por Marguerite Maury, enfermeira austríaca (1895-1968). Combinando massagem oriental e óleos, ela elaborou fórmulas personalizadas para cada paciente e depois compilou suas receitas em um livro. A partir desse evento, a comunidade científica passou a se interessar sobre o efeito dos aromas nos seres humanos.

Ação nos hormônios
Segundo Sonia Corazza, autora do livro Aromacologia, uma ciência de muitos cheiros (Senac), a utilização dos óleos essenciais com fins terapêuticos geralmente visa ao alívio de sintomas. “Existe uma vasta gama de indicações para patologias emocionais e físicas. Quando os desequilíbrios são de natureza psicossomática, eles são resolvidos mais rapidamente, pois o olfato está ligado à memória emocional”. A explicação para isso seriam os efeitos funcionais desses óleos. “Capazes de atuar no sistema nervoso central e no equilíbrio hormonal, eles também caminham na corrente sanguínea pela mucosa nasal, pulmonar, ou por difusão do sistema nervoso”, explica Sonia.

Para quem é indicada
Quem deseja submeter-se a esse tipo de terapia, deve procurar profissionais rigorosamente treinados para essa prática. Como não existem cursos de especialização no Brasil, o ideal é que os terapeutas tenham formação em naturopatia, fisioterapia, biologia, farmácia, química, medicina, psicologia e homeopatia. Embora a técnica seja indicada para todas as idades, ela possui algumas contraindicações. “A escolha do terapeuta é fundamental, pois o uso abusivo pode desencadear reações adversas”, pondera Fernando Amaral, osmólogo e diretor científico da World’s Natural Fragrancies.
A terapia poderá valer-se da difusão aérea dos aromas, banhos e até massagens. E para que funcione, a absorção dos óleos deve ocorrer por 20 minutos, média mínima para cada aplicação. Quanto à perspectiva de espera por resultados, Amaral afirma que o uso da aromaterapia é um estilo de vida, e não um remédio que se utiliza de acordo com uma bula. “Não podemos falar em tempo de tratamento. O que se busca é o bem-estar geral do paciente”, conclui o especialista.

Os principais óleos essenciais

Gerânio – Citronelol, acetato de citronelila e geraniol são alguns elementos de sua composição. Utilizado para a acne, celulite, pele madura, machucados, amidalite, rins, diabetes, hemorragia, queimaduras, etc. Contraindicado para pessoas com peles sensíveis e grávidas. Shutterstock
Shutterstock Alecrim – Em hospitais da França, essa erva era queimada para purificar o ar e prevenir infecções. Sua composição possui acetato de bornila, eucaliptol, cânfora, verbenona, etc. É indicado para abscessos, asma, cãibras musculares, debilidade geral, exaustão, estafa e cansaço mental. Só não deve ser utilizado por hipertensos e pessoas com epilepsia, devido às suas qualidades estimulantes.
Bergamota – Composto por mirceno, limoneno e linalol, é um poderoso antidepressivo e sedativo do sistema nervoso. Antisséptico e desodorante, é útil nas infecções do trato urinário, acne, cistites, prurido vaginal, halitose, psoríase, perda de apetite, ansiedade, etc. Mas cuidado: é fototóxico e, portanto, não pode ser utilizado quando houver exposição da pele ao sol. Shutterstock
Shutterstock Lavanda – Rico em monoterpenos, ácidos cetonas e aldeídos, seu óleo possui ação analgésica, antibiótica, antidepressiva e bactericida. Possui ainda efeito descongestionante e sedativo. Indicado para asma, eczema, sarna, catarata, problemas metabólicos, hipertensão, etc. Bom inalante para catarro, sinusite, bronquite e resfriados em geral. Único óleo que pode ser aplicado diretamente sobre a pele, especialmente em queimaduras. Atenua dores e ansiedade.
Camomila-dos-alemães – Graças ao azuleno nela contido, é um excelente anti-inflamatório. Leve sedativo para uso infantil, possui ação antiespasmódica. Imunoestimulante, também é indicada para artrites. O único senão é que pode causar dermatites em algumas pessoas. Shutterstock

 





 
Viva Saúde :: 20/02/13
As mentiras que as mulheres contam (aos médicos)
 
Viva Saúde :: 20/02/13
Retenção de líquidos
 
Viva Saúde :: 19/02/13
O que perguntar antes da cirurgia
 

 
Viva Saúde :: Clínica Geral :: ed 79 - 2009
25 exames que seu médico deveria pedir


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 70 - 2009
9 formas eficazes de acelerar o metabolismo


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 78 - 2009
Alimentos que fazem a tireoide trabalhar mais (e você perder peso)


 










As novidades da Viva Saúde em primeira mão!





 


Faça já a sua assinatura!

Corpo a Corpo

A revista completa de beleza

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!

Dieta Já!
Conquiste o corpo que semprequis.

Assine por 1 ano
9x de R$ 9,20
Assine!
Outras ofertas!

Molde & Cia

Exclusiva como você.

Assine por 1 ano
11x de R$ 9,27
Assine!
Outras ofertas!

Viva Saúde

Pra viver mais e melhor

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!
 

Bye, bye, alface
Consumir salada no dia a dia é difícil? A dica é estimular seu paladar com diferentes tipos de folhas e molhos

As mentiras que as mulheres contam (aos médicos)
"Conte-me tudo, não me esconda nada". Essa é a súplica dos profissionais da saúde às pacientes



clínica geral
nutrição
família
viver bem
guia
nesta edição

  ContentStuff - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo - CMS