Revista Viva Saúde  
alguns ciencia comer dicas dor editorial existe nutrição saude tratamento
 
 
Edição 119 | EXPEDIENTE
Viver Bem / Home

  Será que eu sou hipocondríaco?
Conhecidos por rejeitar as opiniões médicas, o maior desafio é convencer os pacientes de que seu mal não é físico, mas pode ser tratado

Por Cristina Almeida | Foto: Fabio Mangabeira


De 4% a 7% dos pacientes ambulatoriais sofrem com a hipocondria. Definida como uma interpretação errônea das sensações corporais corriqueiras, uma de suas características é a forte rejeição às opiniões médicas. Segundo o psicanalista José Atilio Bombana, coordenador do Programa de Atendimento e Estudos de Somatização da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professor do curso de Psicossomática do Instituto Sedes Sapientiae, a doença é comum a ambos os sexos e, em geral, surge entre os 20 e 30 anos de idade. Crianças também sofrem com o problema, mas para elas há esperança de recuperação na adolescência ou no início da idade adulta. O psicanalista esclarece que o quadro é fonte de angústia constante para o paciente e sua família. “O segredo é o equilíbrio: a família não deve compactuar com a obsessão por visitas médicas, exames e procedimentos desnecessários, nem ignorar o doente”. Confira a entrevista concedida à VivaSaúde.

Quais são as causas da hipocondria?
Elas ainda não foram esclarecidas precisamente, mas alguns aspectos ligados à história individual são relevantes. A valorização e o papel conferidos ao corpo e às doenças durante a vida do paciente, ou das pessoas importantes para ele, podem influenciar. Conta também a maior ou menor capacidade em lidar com as vivências físicas e psíquicas. Alguns têm recursos para pensar a respeito de si e de sua vida. Outros, nem tanto. Para estes, há maior suscetibilidade em vivenciar de modo mais concreto os fatos da vida e, assim, são mais vulneráveis às patologias, entre elas a hipocondria.

Quais são os principais sintomas?
Medo e crença de estar gravemente doente são os sintomas centrais. Os outros sinais são a iniciativa de buscar serviços de saúde repetidamente; solicitar realização de exames de modo exagerado; grande interesse por assuntos médicos e rejeição das opiniões dos especialistas. É frequente o conhecimento de variados medicamentos, embora nem sempre se faça uso deles, por temor de algum prejuízo. Sintomas de depressão e ansiedade também são comuns, bem como preocupação excessiva com o corpo, o que faz que tentem pesquisá-lo e decifrá-lo diante dos mínimos indícios.

Como é feito o diagnóstico?
Inicialmente pela constatação dos sintomas característicos, incluindo a não aceitação dos pareceres médicos. Alguma preocupação com o corpo é admissível. Mas discernir entre um traço de personalidade e uma condição claramente patológica é um desafio que só é superado pela experiência clínica. Diagnósticos diferenciais também são úteis. Primeiro, excluem-se patologias de difícil identificação; depois, deve-se dar atenção aos quadros depressivos, em que os sintomas hipocondríacos podem aparecer. Por outro lado, quando o medo de doenças é absolutamente inquestionável, podemos estar diante de um delírio hipocondríaco, que é uma psicose, outra categoria psiquiátrica.

 

1 | 2 | 3 | Próxima >>



 
Viva Saúde :: 19/02/13
Saia da rotina e turbine a memória
 
Viva Saúde :: 21/02/13
Chás que você deveria tomar todos os dias
 
Viva Saúde :: 20/02/13
Bye, bye, alface
 

 
Viva Saúde :: Clínica Geral :: ed 79 - 2009
25 exames que seu médico deveria pedir


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 70 - 2009
9 formas eficazes de acelerar o metabolismo


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 78 - 2009
Alimentos que fazem a tireoide trabalhar mais (e você perder peso)


 










As novidades da Viva Saúde em primeira mão!





 


Faça já a sua assinatura!

Corpo a Corpo

A revista completa de beleza

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!

Dieta Já!
Conquiste o corpo que semprequis.

Assine por 1 ano
9x de R$ 9,20
Assine!
Outras ofertas!

Molde & Cia

Exclusiva como você.

Assine por 1 ano
11x de R$ 9,27
Assine!
Outras ofertas!

Viva Saúde

Pra viver mais e melhor

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!
 

Bye, bye, alface
Consumir salada no dia a dia é difícil? A dica é estimular seu paladar com diferentes tipos de folhas e molhos

As mentiras que as mulheres contam (aos médicos)
"Conte-me tudo, não me esconda nada". Essa é a súplica dos profissionais da saúde às pacientes



clínica geral
nutrição
família
viver bem
guia
nesta edição

  ContentStuff - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo - CMS