Revista Viva Saúde  
alguns ciencia comer dicas dor editorial existe nutrição saude tratamento
 
 
Edição 119 | EXPEDIENTE
Sexo / Home

  Pronto-socorro sexual
Ausência de desejo, disfunção erétil, dificuldade para alcançar o orgasmo... Esses são alguns dos fantasmas que rondam a vida e prejudicam a saúde de homens e mulheres de todas as idades. Felizmente, existem medicamentos e tratamentos cada vez mais eficazes

POR HELOÍSA NORONHA
FOTOMONTAGENS MARCELO GARCIA

Por um final feliz

Na opinião do urologista Celso Marzano, o dia-a-dia conspira contra o sexo. "Conciliar a família, os amigos, o trabalho e os nossos interesses pessoais é muito difícil. Fora isso, ainda há a situação financeira do país, sempre instável, problemas que afetam o nosso controle emocional, e, principalmente o envelhecimento inevitável do nosso corpo. Por isso tudo teremos em um curto espaço de tempo algum tipo de disfunção sexual, de maior ou menor grau", destaca. "É importante manter a sexualidade sempre vibrante e presente, para evitar que o desgaste do dia-a-dia leve os casais a ser somente bons amigos, ou com uma freqüência que os deixem infelizes." Dedicar tempo ao culto do erotismo é o ponto principal de toda essa história. Namorar, jantar fora durante a semana, ler um livro erótico ou assistir a um filme mais caliente juntos, não só coloca mais pimenta na vida a dois como prepara - corpo e alma - para uma vida sexual mais feliz e prazerosa. "Levar todas as nossas preocupações para a cama tem duas conseqüências sérias: uma delas é a diminuição das respostas sexuais e, a outra, o aumento das frustrações. A sexualidade é um modo de expressão estritamente ligado à sensibilidade. Estamos sempre aprendendo", avalia Celso Marzano.

Confira ao longo desta reportagem os principais problemas que rondam a vida entre os lençóis e como solucioná- los para que sexo esteja cada vez mais ligado à saúde e ao bem-estar.

Anorgasmia:
dificuldade feminina em ter orgasmo. Manifesta-se de diversas formas. As mulheres pré-orgásmicas, por exemplo, nunca atingiram o êxtase em nenhuma circunstância da vida. Há outras que conseguem ter orgasmo com a manipulação e a estimulação do clitóris, mas não sentem o mesmo com a penetração. "Na terapia sexual, a mulher aprende a focalizar a atenção nas sensações e a desenvolver o trajeto voluntário até o clímax", comenta Oswaldo Rodrigues. O termo é mais usado para elas, mas também vale para homens que sentem desejo e excitação, mas não gozam ou ejaculam.

Ausência de desejo :
acontece mais por razões emocionais e em momentos de estresse. Alguns medicamentos também têm o poder de inibir a libido. Porém, assim que param de ser administrados, o desejo volta. Nos Estados Unidos alguns cientistas estudam a aplicação de gel de testosterona na região do clitóris para combater a inibição do desejo sexual feminino. O efeito que preocupa os pesquisadores é a possível masculinização pelo excesso de hormônio utilizado.

Compulsão sexual:
sintoma de um distúrbio sexual, é mais comum em homens que em mulheres. Nem sempre o compulsivo é que aquele que faz sexo várias vezes ao dia - há quem se masturbe até nove vezes em 24 horas. Existem pessoas que apresentam o comportamento exagerado apenas em situações de alta ansiedade, buscando sexo sem controle e promíscuo. "Os padrões podem diferir bastante entre os indivíduos", comenta Rico, representante do grupo Dependentes de Amor e Sexo Anônimos (Dasa) no Brasil. "Há quem não consiga se livrar de hábitos como voyeurismo e exibicionismo." Segundo o médico Oswaldo Rodrigues Jr., esse tipo de problema exige tratamento psicoterápico intenso, porque as tentativas de uso de medicamentos psiquiátricos costumam falhar quando o indivíduo percebe que eles interferem no desejo e na satisfação sexual. O Dasa parte do princípio que a doença não pode ser curada, mas mantida sob controle. A irmandade - como se autodenominam - conta com fundamentos como os 12 passos e as 12 tradições, baseados nos Alcóolicos Anônimos.

Disfunção erétil:
é a incapacidade de um homem atingir e/ou manter uma ereção peniana suficiente para a atividade sexual. Pode significar habilidade inconsistente para alcançar uma ereção, tendência em manter somente ereções breves ou incapacidade total para obtê-las. Freqüentemente a DE é uma característica de outros problemas de saúde, como os de procedências vasculares ou neurológicas, diabetes, pressão alta ou arteriosclerose. É mais comum após os 50 anos e ainda pode ter causas como álcool, tabagismo, obesidade por alimentação inadequada, vida sedentária, doenças da idade, uso de tranqüilizantes e problemas cardíacos. Fatores psicológicos? Ansiedade, estresse, depressão e distúrbios psiquiátricos, nessa ordem. Perdas temporárias não devem virar motivo de preocupação. Se forem graduais podem ser o sintoma de alguma doença, distúrbio hormonal ou uso de medicamento. Já as repentinas sinalizam uma origem psicológica. "Falhas esporádicas são naturais e resultam de cansaço, preocupação e falta de interesse naquele ato, entre outros motivos que não significam doença", considera Carmita Abdo, que também é coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. Remédios via oral, injeções, dispositivos a vácuo e próteses penianas são alguns dos recursos utilizados.

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | Próxima >>



 
Viva Saúde :: 21/02/13
Chás que você deveria tomar todos os dias
 
Viva Saúde :: 20/02/13
Bye, bye, alface
 
Viva Saúde :: 20/02/13
O desafio do autismo
 

 
Viva Saúde :: Clínica Geral :: ed 79 - 2009
25 exames que seu médico deveria pedir


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 70 - 2009
9 formas eficazes de acelerar o metabolismo


Viva Saúde :: Nutrição :: ed 78 - 2009
Alimentos que fazem a tireoide trabalhar mais (e você perder peso)


 










As novidades da Viva Saúde em primeira mão!





 


Faça já a sua assinatura!

Corpo a Corpo

A revista completa de beleza

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!

Dieta Já!
Conquiste o corpo que semprequis.

Assine por 1 ano
9x de R$ 9,20
Assine!
Outras ofertas!

Molde & Cia

Exclusiva como você.

Assine por 1 ano
11x de R$ 9,27
Assine!
Outras ofertas!

Viva Saúde

Pra viver mais e melhor

Assine por 1 ano
10x de R$ 9,48
Assine!
Outras ofertas!
 

Bye, bye, alface
Consumir salada no dia a dia é difícil? A dica é estimular seu paladar com diferentes tipos de folhas e molhos

As mentiras que as mulheres contam (aos médicos)
"Conte-me tudo, não me esconda nada". Essa é a súplica dos profissionais da saúde às pacientes



clínica geral
nutrição
família
viver bem
guia
nesta edição

  ContentStuff - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo - CMS