assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Alimentos que mais causam alergia em crianças

Publicado em 11 de Dec de 2014 por Clara Ribeiro | Comente!

Em geral, existem alimentos com mais propensão a causar alergias em crianças. Isso ocorre devido a certas proteínas que esses alimentos contêm (algum nutriente que o corpo encara como antígeno). A alergologista Rosane Bergwerk nos ensina melhor quais são esses itens e quais as consequências dessas alergias


  • Frutos do mar

    É muito comum encontrar pessoas alérgicas a camarões, entre outros pratos de origem marinha. Em geral, esse tipo de alergia persiste por toda a vida e causa uma reação anafilática, com manifestações súbitas de sintomas que envolvem os sistemas respiratório, gastrointestinal, cutâneo e nervoso, representando um quadro emergencial que pode levar à morte. Em geral, o maior problema desse tipo de reação alérgica ocorre quando a pessoa não sabe que tem o problema e, por isso, o socorro não chega a tempo, além de o paciente não possuir consigo injeções de adrenalina.

     

  • Leite

    O leite de vaca é um dos principais alimentos relacionados à alergia alimentar na faixa etária pediátrica. Afeta aproximadamente 2,5% das crianças abaixo de 3 anos de idade e pode até mesmo aparecer em lactentes, quando os alérgenos são transmitidos pelo leite da mãe. Normalmente essa alergia também se revela em reações anafiláticas, por convocar o hormônio IgE como defesa do corpo. A alergia à proteína do leite de vaca em 60% dos casos desaparece antes dos 3 anos de idade; 35% mantêm manifestações após 3 anos de idade e 25% desenvolvem alergia a outros alimentos aos 10 anos de idade.

  • Nozes

    As oleaginosas englobam nozes, castanha-de-caju, castanha-do-brasil, avelã, pinhão e macadâmia, além do clássico amendoim, mas, em geral, essa alergia é rara na população brasileira, mas quando ocorre, é para a vida toda. Esses itens também costumam causar reações anafiláticas graves, podendo levar à morte se o socorro demorar. O ideal é que o alérgico evite todo esse grupo alimentar, mesmo que tenha demonstrado alergia a apenas uma oleaginosa. Deve-se tomar cuidado com os produtos industrializados com “aroma natural”, pois pode haver a possibilidade da oleaginosa como agente flavorizante.

  • Ovos

    O normal é que essa alergia apareça de pois dos 12meses de idade, e o alérgeno da clara causa mais reações do que a gema, mas mesmo que o paciente seja alérgico somente à clara, deve-se evitar a gema também devido à contaminação. A alergia aos ovos pode causar reações anafiláticas, mas também está relacionada com a dermatite atópica e com o aumento do risco para asma (o risco de anafilaxia grave para esses pacientes é maior). Pacientes podem reagir à exposição de proteínas do ovo dispersas pelo ar durante o cozimento em área fechada, e quando se parte um ovo, pode-se inalar proteínas dispersas no ar. Mas algumas vezes a alergia passa com o tempo, e a criança pode não apresentar reação quando consome a proteína do ovo sem querer.

  • Soja

    O mais comum é que essa alergia apareça na infância, sendo transitória e desaparecendo provavelmente nessa época; 6% de crianças com dermatites atópicas e 14% de crianças com alergia à proteína do leite de vaca apresentam alergia à soja. Mas não há problema em consumir óleo de soja devido ao seu processamento. Em geral, essas alergias apresentaram manifestações anafiláticas, como todas as outras, portanto é importante que os pais reconheçam esse tipo de crise.

Texto: Natasha Franco / Ilustração: Melissa Lagôa / Adaptação: Clara Ribeiro

Revista VivaSaúde - Edição 139



COMENTE!