assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Alimentação especial para gestantes

Publicado em 01 de May de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

O excesso de comida pode fazer mal à gestação. Mas o que você ingere também faz a diferença. Fique mais atenta com as dicas dadas pelo endocrinologista Felipe Duarte



Texto: Nathalie Ayres / Foto: Shutterstock / Adaptação: Ana Paula Ferreira

É normal que a mulher sinta mais apetite na gestação. O ideal é que sejam consumidos todos os

tipos de nutrientes de forma balanceada. Foto: Shutterstock

 

No passado, era recomendado que mulheres grávidas comessem por duas pessoas, já que elas estavam esperando outro ser vivo dentro delas. Contudo, é necessário mudar esta crença, a fim de controlar a alimentação nesta fase e evitar a obesidade, que pode prejudicar a saúde da mãe e da criança durante a gestação.

Mas não é apenas o excesso de comida que faz mal. O que você está ingerindo também faz a diferença. Para deixar as mamães mais atentas, o endocrinologista Felipe Duarte deu 4 dicas à revista VivaSaúde de como se alimentar da forma correta e saudável:

1. Os nutrientes que a mãe consome são o material que ela está usando para “construir” o seu bebê. “O que se deseja é que ele seja feito com matéria-prima de primeira ou de segunda?”, pergunta o especialista. Durante a gravidez pense: seu filho será aquilo que você come.

2. “O consumo de açúcares deve ser reduzido e o de álcool deve ser zero”, assinala Arícia. As gorduras são pouco indicadas.  Os nutrientes devem ser balanceados, seguindo a mesma recomendação geral: coma fibras, carnes magras e carboidratos complexos, priorizando alimentos integrais.

3. Um prato colorido também é importante, pois tem maior variedade de fitoquímicos e minerais, garantindo variedade de matéria-prima para a formação da criança.

4. É normal que a mulher sinta mais apetite na gestação. “Ocorre uma ansiedade severa no primeiro trimestre, o que desencadeia essa ânsia pela comida”, lembra Duarte. Como ensina Isabel, o metabolismo se acelera nessa fase e a atuação do hormônio progesterona também incentiva os excessos, mas não se deve usar a dieta como um escape. A escolha de alimentos certos beneficia a mãe e o bebê.

 



COMENTE!