assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Sardinha é aliada contra a depressão

Publicado em 04 de Mar de 2015 por Clara Ribeiro | Comente!

Esse peixe é rico em ácidos graxos ômega-3, po risso ajuda no funcionamento dos neurônios e fortalece o corpo contra a depressão



Texto: Coleção VivaSaúde Especial - Mente Feminina / Foto: Shutterstock / Adaptação: Clara Ribeiro

Sardinha: Faz bem para o cérebro e o humor

Foto: Shutterstock

Com um preço acessível e fácil de ser encontrada, a sardinha é uma ótima opção para quem quer fortalecer o organismo contra a depressão. Os peixes, de maneira geral, são ricas fontes de ácidos graxos essenciais ômega-3, selênio, vitamina D, vitamina B12 e B3. “Como os pacientes deprimidos apresentam níveis diminuídos de ômega-3, causando alterações no número e nas funções dos receptores e neurotransmissores, o corpo pode desencadear respostas inflamatórias que causam alterações negativas no humor”, afirma a nutricionista Gabriela Tais Passoni.

Quanto aos nutrientes, a sardinha não fica atrás do salmão. Com o consumo de ômega-3, há melhoras na autoestima e humor, pois esse nutriente facilita a fluidez das membranas que revestem os neurônios e atua na síntese dos neurotransmissores noradrenalina, dopamina e serotonina. “Além de melhorar a proteção das células do cérebro, esses nutrientes auxiliam no funcionamento do sistema nervoso como um todo, o que pode reduzir a exacerbação de muitos sintomas da doença”, explica Gabriela Paschoal.

Outros benefícios cerebrais observados com o consumo de peixes são a restituição da disposição e do raciocínio, pois o ômega-3 atua na vasodilatação cerebral, que, ao receber de forma adequada os nutrientes e oxigênio necessários, realiza com mais eficiência suas atividades.

A sardinha é boa fonte de Vitamina D. “Há evidências de que a probabilidade de ter depressão é maior em pessoas com deficiência de vitamina D. Pesquisadores da Universidade de Toronto notaram que pessoas que sofriam com o problema, particularmente as com transtorno afetivo sazonal, melhoram à medida que os seus níveis de vitamina D aumentaram durante um ano”, fala Natália Colombo.

Modo de usar: inclua peixe no cardápio pelo menos duas vezes por semana. E atenção: prefira sempre consumi-lo assado, grelhado ou cru, evitando a todo custo as frituras.

Ajuda nos cuidados com o coração

Os benefícios desse peixe vão além da atuação no melhor funcionamento do cérebro. A sardinha contém elevados níveis de ácido eicosapentaenoico (EPA), que é um dos ácidos graxos ômega-3 mais eficientes para aplacar os efeitos do mau colesterol (LDL), derrubar as taxas de triglicérides e evitar a formação de coágulos nas artérias. Segundo pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), essa gordura poli-insaturada ainda ajuda na redução da pressão arterial e torna o sangue mais fluido, o que facilita sua passagem pela rede de vasos em todo o corpo.

Coleção VivaSaúde Especial - Mente Feminina



COMENTE!