assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Pistache ajuda no controle do peso

Publicado em 07 de Apr de 2015 por Clara Ribeiro | Comente!

De origem asiática, essas sementes sempre foram taxadas de gordurosas, mas pesquisas comprovam que elas possuem alto valor nutritivo e ajudam a regular a taxa de colesterol



Texto: Diego Benine / Foto: Shutterstock

Pistache ajuda no controle do peso e combate a pressão alta

Foto: Shutterstock

Auxilia na dieta

Segundo a nutricionista Patrícia Marques, o alimento pode ajudar no controle do peso, já que promove o efeito de saciedade. “Comer uma fruta junto com uma porção de pistache é uma excelente combinação, pois fornece proteínas, gorduras, carboidratos e fibras. Só é preciso ficar atento às quantidades para não exagerar nas calorias”, recomenda. Mariana Del Bosco, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) fala que alguns estudos demonstraram que, em geral, as gorduras das oleaginosas não são completamente absorvidas. Ou seja: elas contribuem para aumentar calorias, mas não tanto quanto se imagina.

Ajuda no combate à hipertensão arterial

É o que prova um estudo recente da Universidade da Pensilvânia (EUA). A pesquisa descobriu que, embora não interfira na medida da pressão arterial durante o repouso, a semente pode ajudar o organismo a reagir ao estresse. Durante o experimento, os voluntários que comeram pistache por duas semanas apresentaram uma média mais baixa de pressão, bem como menor frequência cardíaca, em situações estressantes. “Porém, tais benefícios estão relacionados ao consumo in natura, sem sal”, diz a nutricionista Mariana.

Liberado para diabéticos

Assim como as demais oleaginosas, o pistache possui baixo índice glicêmico (velocidade com que o açúcar é absorvido pelo sangue), podendo ser consumido junto de pratos ricos em carboidratos. Em geral, essa associação pode ser inserida em dietas para portadores de diabetes, pois ela faz com que a digestão seja mais lenta e evita uma elevação repentina da glicemia.

Combate o colesterol ruim

“Estudos revelam que indivíduos com colesterol alto consumiram cerca de 50g de pistache por dia, durante quatro semanas. Os resultados mostraram que houve uma melhora significativa em alguns parâmetros da saúde cardiovascular”, conta a nutricionista da Abeso. Ela explica que a resposta para isso estaria nos principais nutrientes da fruta: os ácidos graxos polissaturados e os elementos antioxidantes (betacaroteno, gamma-tocoferol e luteína), os quais ajudariam a diminuir os colesteróis total e ruim — o temido LDL.

Melhora o aspecto da pele

“Além de possuir gorduras insaturadas, o pistache dispõe de substâncias antioxidantes, como selênio e vitamina E, as quais auxiliam na inativação dos radicais livres que danificam as células, prevenindo o envelhecimento precoce”, esclarece Patrícia. No entanto, muitas pessoas possuem alergia às oleaginosas. Nesse caso, o fruto passa de herói a vilão.

É bom para a visão

De acordo com Patrícia, isso acontece porque betacaroteno e luteína podem evitar a degeneração macular relacionada à idade — perda de visão que normalmente surge após os 50 anos. Outros nutrientes que combatem a patologia são a zeaxantina e as gorduras de boa qualidade presentes no alimento.

FONTE: PESQUISA PISTACHIOS INCREASE SERUM ANTIOXIDANTS ANDLOWER SERUM OXIDIZED-LDL IN HYPERCHOLESTEROLEMIC ADULTS, REALIZADA PELA UNIVERSIDADE DA PENSILVÂNIA.

Revista VivaSaúde - Edição 121



COMENTE!