assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Nutrientes importantes para o bebê

Publicado em 06 de Oct de 2015 por Marília Alencar | Comente!

A partir dos 7 meses de idade é importante que o bebê consuma outros tipos de alimentos para ter uma gama maior de nutrientes. Veja quais são eles:


  • Ferro

    Xô, anemia!

    A anemia por deficiência de ferro é mais comum após os sete meses de idade. Um estudo publicado na revista científica Pediatrics em 2013 mostrou que a deficiência de ferro aumenta 5% a cada mês adicional de aleitamento exclusivo. “A partir dos seis meses de idade, em decorrência da maior demanda por esse nutriente, ocorre a redução gradual das reservasde ferro no organismo e, dessa forma, a alimentação complementar é fundamental”, explica a nutricionista Clarissa Fujiwara (SP).

    Onde encontrar: nas carnes, especialmente no fígado de boi, ou nas leguminosas (feijão, lentilha, soja).“Fontes de origem animal têm melhor biodisponibilidade de ferro, com até22% de absorção, do que as de origem vegetal, que têm até 6% de absorção”, fala a nutricionista Paula Crook, especialista em nutrição infantil (SP).

    Posologia: bebês com mais de 6 meses devem consumir 11 mg de ferro ao dia (duas porções diárias de 50 g de carnes e uma porção de uma colher (sopa) de leguminosas.

  • Vitamina C

    Defesas garantidas

    “A vitamina C é um potente antioxidante, além de ajudar no desenvolvimento do sistema imunológico”, resume a pediatra Jomara. Além disso, ajuda na produção e na manutenção de colágeno, substância que forma a base de todos os tecidos de nosso corpo, e também ajuda na absorção do ferro.

    Onde encontrar: as frutas cítricas são as principais fontes desse nutriente, como laranja, acerola, limão, abacaxi, kiwi. Mashá vitamina C também em outras frutas, como morango, mamão e caju, e em vegetais como brócolis, repolho e tomate.

    Posologia: para conseguir entre 40 e 50 mg de vitamina C, é preciso que o bebê ingira uma porção de fruta cítrica por dia na papinha doce, o que equivale a uma laranja, um terço de mamão papaia ou meia fatia de abacaxi. É importante que ele consuma vegetais verde-escuros na semana, como duas folhas médias de repolho refogado ou uma colher e meia de brócolis cozidos.

  • Carboidratos e gorduras

    Garantem energia 

    Toda fase de crescimento da criança requer energia, que vem principalmente dos carboidratos e gorduras. “O consumo insuficiente de energia acarreta o prejuízo do estado nutricional adequado, podendo causar o déficit de crescimento linear na infância”, explica Clarissa Fujiwara.

    Onde encontrar: no grupo dos carboidratos, itens como arroz, mandioca, batata e macarrão são os mais indicados. Já no grupo das gorduras é importante priorizar as poli-insaturadas, como os ácidos graxos, ômega-3, 6 e 9, como explica Jomara. Eles são encontrados no leite materno e em alimentos como a linhaça e óleos de canola e soja.

    Posologia: não exagere nas gorduras! Uma colher (sobremesa) dos óleos vegetais é o ideal. Quanto aos carboidratos, é importante que cada papa salgada tenha uma porção deles, que pode ser duas colheres (sopa) de arroz ou macarrão, uma colher (servir) de mandioca ou uma unidade média de batata, sempre cozidos.

  • Zinco 

    Defesas a postos!

    “O zinco é um mineral importante para a formação de células que fazem parte do sistema imunológico e que atuam na defesa de micro-organismos invasores”, explica a nutricionista Clarissa. Também é importante para evitar alguns tipos de anemia e ajuda no crescimento e na regeneração óssea e muscular.

    Onde encontrar: carnes vermelhas e brancas são as maiores fontes de zinco, assim como peixes e leguminosas, como feijão, lentilha, soja e grão-de-bico.

    Posologia: os bebês com mais de 6 meses devem consumir 5 mg de zinco ao dia, o que pode ser obtido com uma porção ao dia de 50 g de carne de boi ou frango, além de uma porção de uma colher (sopa) de leguminosas.

  • Vitamina D 

    Para ter ossos fortes 

    Hoje a vitamina D tem sido relacionada a diversos benefícios à saúde: “Ela regula várias partes do corpo e é importante, principalmente, na absorção do cálcio, além de ter relação com sistema imunológico”, explica a pediatra Fernanda.

    Onde encontrar: a vitamina D precisa ser absorvida nos alimentos, e é encontrada nos de origem animal, como ovos e carnes. Mas é preciso a exposição solar também para sua ativação.

    Posologia: quanto aos alimentos, o consumo de duas porções de ovos na semana já ajuda. Mas é importante expor a criança ao sol, seja dez minutos (sem roupa) ao sol ou 30 minutos com pés e mãos expostos, diz a especialista.

  • Vitamina A 

    Olhos e pele saudáveis

    “A vitamina A auxilia na visão, na função imunológica, na formação de pele e tecidos, no crescimento dos ossos”, enumera a nutricionista Paula. Além disso, a pediatra Fernanda reitera que ela ajuda no trabalho do ferro e dozinco, nutrientes fundamentais para o crescimento. A vitamina está presente no leite materno, mas precisa ser complementada na alimentação sólida.

    Onde encontrar: é encontrada em produtos de origem animal (fígado e gema de ovo). Já o betacaroteno (que se transforma em vitamina A em nosso organismo) é encontrado em produtos de origem vegetal (vegetais folhosos verde-escuros, cenoura, batata-doce, manga, damascos e mamão).

    Posologia: é necessário que o bebê ingira 600 mcg de vitamina A, o que corresponde a duas porções de ovo ou de fígado na semana, o que equivale a uma unidade de ovo e uma porção de 50 g de fígado. Além disso, é muito importante o consumo de uma porção dos vegetais citados por dia, o que equivale a um terço de um mamão papaia, quatro fatias de cenoura ou duas colheres (sopa) de abóbora cozida.

Texto Natasha Franco / Foto: Shutterstock 

Revista VivaSaúde / Edição 148



COMENTE!