assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Dia Internacional de Combate a Homofobia

Publicado em 17 de May de 2017 por Kelly Miyazato | Comente!

Para celebrar a data, é extremamente importante refletir e se conscientizar: a homofobia faz mal à saúde. Portanto, o primeiro passo pode ser dado dentro de casa, com o apoio dos pais no que for possível. Saiba mais!



 

17/5 - Dia Internacional de Combate a Homofobia

Se um de seus filhos ou netos conseguisse confidenciar a você que é gay, como você reagiria? Seja lá qual for a sua resposta, a única coisa que você não deve fazer é rejeitá-lo. A maior razão para isso é a saúde deles. Para começar, grupos marginalizados pela família e pelos amigos têm maior propensão a problemas de saúde mental e abuso de substâncias. Além disso, tais pessoas tendem a não buscar ajuda médica por ignorarem a quem recorrer. A segunda coisa a saber é que a homossexualidade não é classificada como um distúrbio mental, mas uma forma de expressão sexual. Ainda não se desconhece o que leva uma pessoa a ser gay, bissexual ou heterossexual. Giancarlo Spizzirri, médico do Programa deEstudos em Sexualidade (Prosex), do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), diz que os pais precisam saber que esta não é uma escolha deles. “Quando se tem um filho, é preciso ter consciência de que ele não necessariamente corresponderá à expecativa dos pais e que este fato da vida ocorre em qualquer família, ajustada ou não”. O papel dos pais é apoiar no que for possível pelo bem da saúde desses jovens.

 

*Por Cristina Almeida | Foto Shutterstock | Adaptação Kelly Miyazzato.

 

Revista VivaSaúde | Ed. 157

Assine já e garanta 6 meses grátis de outro título

 

 

 

 

 

 

 

 



COMENTE!