assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Descubra como evitar dores durante a amamentação

Publicado em 22 de Dec de 2013 por Leticia Maciel | Comente!

Algumas medidas, antes e depois do parto, ajudam a mãe a amamentar corretamente e evitam as dores. Entre elas, destaca-se o preparo da pele



Texto: Cristina Almeida/ Foto: Shutterstock/ Adaptação: Letícia Maciel 

Para superar o medo de amamentar, os cuidados com os mamilos devem ocorrer já durante 
a gestação
Foto: Shutterstock  

Enfim, você se vê repousando no quarto da maternidade. A alegria da família contagia o ambiente e, ao lado de sua cama, seu bebê dorme sereno no bercinho de acrílico. Em pouco tempo você ouvirá um gemido e chamará a enfermeira. Ela virá rapidamente, só para dizer-lhe que o que se passa é que chegou a hora da primeira mamada. Instintivamente, você o tomará nos braços e oferecerá seu seio. Os primeiros momentos desse ritual podem ser frustrantes, mas se você recebeu as orientações necessárias, seguirá adiante, pois “toda mulher, a menos que haja uma orientação médica contrária e explícita, pode amamentar, independentemente do tamanho ou do tipo de mamilo”, afirma a obstetra Fabiane Sabbag Corrêa do Hospital São Luiz (SP). As situações mais temidas são as fissuras e a dor. E estas são mesmo as causas responsáveis pelo alto índice de desistência da amamentação. Porém, “isso só acontece quando o bebê suga de forma inadequada, pressionando apenas os mamilos, ao invés de sugar as aréolas”, explica a pediatra Julied Jaruzo dos Santos de Barros e Silva (SP).

Calejar os seios?

Para superar o medo, os cuidados com os mamilos devem ocorrer já durante a gestação. A futura mãe deve observar seus seios para saber qual é o tipo de seu mamilo. Eles são classificados como normais, compridos, planos ou invertidos. “E a mesma mulher pode ter tipos diferentes em cada mama”, fala Julied. Dependendo da própria anatomia, poderá haver maior ou menor dificuldade em amamentar. Seja lá qual for o seu tipo e o modo como se adaptará à nova situação, é importante saber que algumas pessoas terão maior facilidade do que outras. Entretanto, é sempre possível aprender a desempenhar a atividade de forma adequada. As especialistas esclarecem que o preparo da pele é essencial. “Na gravidez é importante calejar o seio, o que se faz com procedimentos que tornam a pele do mamilo mais espessa. E isso se dá promovendo o atrito com a pele. Pode-se usar uma bucha vegetal ou uma tolha, durante o banho, massageando-a levemente sem feri-la”, ensina Fabiane.

Topless terapêutico

No passado, aconselhava-se até a exposição dos mamilos ao sol. Hoje, segundo a pediatra Julied, a medida é considerada controversa. “Para evitar e tratar fissuras mamárias, adotamos o chamado tratamento úmido. Acredita-se que a cicatrização das feridas é mais eficiente se as camadas internas da epiderme (expostas pela lesão), se mantiverem úmidas. Tal umidade forma uma camada protetora que evita a desidratação das camadas mais profundas da epiderme, diminuindo a chance de atrito e traumas. Se, apesar desses cuidados, o bico rachar, pomadas à base de lanolina anidra pura são indicadas. Elas são naturais, não tóxicas, sem absorção sistêmica e inócuas para o bebê e para a mãe. “Pense que, após o parto, você não estará abandonada e poderá contar com a ajuda de especialistas para facilitar o processo. Ele pode até ser difícil, mas não é impossível”, conclui a obstetra Fabiane.

O que fazer na hora de amamentar

  • Escolha um local silencioso.
  • Procure ficar tranquila.
  • Sente-se comodamente, com um apoio.
  • Use roupas que liberem os movimentos.
  • Posicione o bebê e sua boca de frente para a mãe e o mamilo.
  • O bebê deve abocanhar o mamilo e a aréola. Isso evita que o bico do seio apresente fissuras e facilita as mamadas.

Revista VivaSaúde Edição 128




COMENTE!