assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Cuidados com o pulmão dos filhos

Publicado em 03 de Jan de 2014 por Leticia Maciel | Comente!

Durante o desenvolvimento dos filhos, são necessários alguns cuidados para não comprometer a respiração das crianças. Veja as dicas dos especialistas



Texto: Fernanda Emmerick/ Foto: Shutterstock/ Adaptação: Letícia Maciel

O aleitamento materno impede o aparecimento
de doenças respiratórias como pneumonia e a
asma.
Foto: Shutterstock

Durante os primeiros anos de vida, enquanto ocorre o desenvolvimento dos órgãos e sistemas, é necessário que os pais estejam atentos e evitem que os bebês tenham sequelas na vida adulta. “Esse é um dos motivos para cuidarmos muito bem do pulmão de nossos pequenos, pois eles ainda vão crescer e ganhar espaço para realizar as trocas gasosas”, explica Marina Buarque de Almeida, diretora do Departamento de Pediatria da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

Impedir a exposição ambiental nociva a esse desenvolvimento pulmonar, como a poluição e o tabagismo, além da realização de um bom pré-natal são atitudes importantes. Após o nascimento, recomenda-se o aleitamento materno por pelo menos seis meses e  o tratamento de eventuais infecções respiratórias.

Nos recém nascidos as principais doenças estão relacionadas a complicações de prematuridade, como a displasia broncopulmonar, pneumonias e desconforto respiratório adaptativo.

 

Asma sem pânico

A palavra asma costuma assustar os pais. As crises, então, são pesadelos sem fim. Ver a criança com falta de ar, sibilos, tosse e cansaço, que são os principais sintomas da doença, obviamente assusta, mas, com a conduta certa, a asma deixa de ser um bicho-papão.

 

“O primeiro passo é encará-la como um mal crônico que exige prevenção contínua, ou seja, é errado tratar os sintomas somente durante as crises” afirma o pediatra e presidente do Hospital Infantil de Sabará, José Luiz Setúbal.

 

De caráter hereditário, a asma também está associada a fatores alérgicos, por isso, além da medicação regular indicada pelo pediatra, o controle do ambiente é essencial para a estabilização do problema. Hoje o tratamento consiste no uso de medicamentos anti-inflamatórios e broncodilatadores por via inalatória, drogas seguras e com poucos efeitos colaterais. Além disso, é importante lembrar que a prática esportiva desenvolve a capacidade pulmonar da criança.

 

 

 

Revista VivaSaúde Edição 98



COMENTE!