Viva Saúde
Edição 24 - Abril/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

O especialista
  O MÉDICO DO INTESTINO
Coloproctologista: é esse o responsável por tratar dos problemas que podem afetar as regiões do cólon e do reto

POR VICTOR FERREIRA

Ao detectar alguma alteração na região anal, a maioria das pessoas acaba escondendo, acreditando que passará logo. Isso por vergonha de buscar informação e até mesmo de consultar um médico. Mas esses incômodos, que podem até ser imperceptíveis, têm, em grande parte das vezes, relação com o intestino grosso (que é dividido em cólon e reto). E para tratar e prevenir enfermidades que afetam essas áreas, o especialista é o coloproctologista - ou simplesmente proctologista.

Ao detectar alguma alteração na região anal, a maioria das pessoas acaba escondendo, acreditando que passará logo. Isso por vergonha de buscar informação e até mesmo de consultar um médico. Mas esses incômodos, que podem até ser imperceptíveis, têm, em grande parte das vezes, relação com o intestino grosso (que é dividido em cólon e reto). E para tratar e prevenir enfermidades que afetam essas áreas, o especialista é o coloproctologista - ou simplesmente proctologista.

Avaliações necessárias

O exame que ajuda a detectar algum distúrbio no reto é o toque retal, realizado no próprio consultório médico. Já o diagnóstico de câncer de cólon requer uma colonoscopia - por meio da introdução de um aparelho longo e flexível, à semelhança do que se usa para a endoscopia, é possível identificar não só processos inflamatórios como também pequenos pólipos (que são uma espécie de verruga sob a mucosa do intestino).

A prevenção de doenças coloproctológicas se dá basicamente por meio da higiene anal e de funcionamento intestinal adequados, além de exercícios físicos regulares e alimentação saudável.

Os profissionais no Brasil
 
A Sociedade Brasileira de Coloproctologia existe há 50 anos e atualmente possui mais de mil especialistas associados - é a segunda maior sociedade de coloproctologistas do mundo. Para conseguir esse título de especialista são necessários 10 anos de estudos: além dos seis anos da faculdade de medicina, o profissional faz dois anos de residência em cirurgia geral e outros dois de residência em coloproctologia. Depois disso, o médico ainda passa pela prova teórica e outra prática e por análise curricular feita pela Sociedade.
   

As estimativas de incidência de câncer no Brasil para 2006, publicadas pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), apontam o câncer colo-retal como o 5o tumor maligno mais freqüente entre homens (com 11.390 casos novos) e o 40 entre as mulheres (13.970 casos novos). A maior incidência ocorre na faixa etária entre 50 e 70 anos, mas as possibilidades de desenvolvimento já aumentam a partir dos 40 anos

 


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.