assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Você sabe o que é fibrose pulmonar?

Publicado em 17 de Mar de 2017 por Ana Carolina Gabriel | Comente!

Acredita-se que a fibrose pulmonar ou cicatriz é resultado de repetidas lesões no tecido pulmonar. Saiba mais sobre essa doença rara



Texto Redação | Foto Shutterstock | Vídeo Divulgação Boehringer Ingelheim do Brasil

É comum que os sintomas de doenças raras sejam confundidos com  problemas mais
corriqueiros, o que torna o diagnóstico extremamente desafiador e muitas vezes equivocado

 Você sabia que as doenças raras acometem até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos e, atualmente, existem cerca de 7 mil já identificadas? Uma delas é a Fibrose pulmonar Idiopática (FPI). Trata-se de uma doença progressiva, sem cura e que tem seus sintomas negligenciados. “É comum que os sintomas de doenças raras sejam confundidos com  problemas mais corriqueiros, o que torna o diagnóstico extremamente desafiador e muitas vezes equivocado”, afirma Adalberto Rubin, pneumologista da Santa Casa de Porto Alegre (RS). 



O que é FPI?
Estima-se que a FPI atinja de 14 a 43 em cada 100.000 pessoas no mundo, e é mais comumentente observada em homens do que em mulheres. Assista ao vídeo e entenda um pouco mais da doença. 

 

Causas da fibrose pulmonar
Existem alguns fatores que favorecem o surgimento da doença, como o tabagismo, a exposição ambiental à diversos poluentes, refluxo gastroesofrágico, infecção viral crônica e fatores genéticos.


Sintomas da FPI
Como a doença enrijece os pulmões ocasiona tosse, falta de ar, cansaço constante e limitações ao realizar atividades diárias. Por isso, o recomendado é procurar orientação médica ao apresentar alguns desses elementos. 



Tratamento
A fibrose pulmonar não tem cura, por isso é preciso realizar o diagnóstico o quanto antes para que o tratamento seja feito. “Em 2016 o nintedanibe, droga que desacelera a perda de função pulmonar, passou a ser comercializado no Brasil e representa melhores perspectivas para os pacientes brasileiros”, diz o pneumologista. 

 



COMENTE!