assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Vasos e varizes: saiba qual é o momento de procurar o médico

Publicado em 08 de Sep de 2017 por Kelly Miyazato | Comente!

O problema de vasos e varizes afeta cerca de 40% da população, principalmente mulheres, e pode ter consequências graves quando negligenciado. Saiba qual é o momento de procurar o médico!



 

Vasos e varizes: saiba qual é o momento de procurar o médico

Elas podem parecer teias de aranha arroxeadas ou caminhos tortuosos que surgem sob a pele ou até em alto relevo. Podem ser apenas um problema estético ou um sinal de que a circulação do sangue nas pernas não vai bem. Se você pensou nas varizes, acertou. O problema afeta cerca de 40% da população, principalmente mulheres, e pode ter consequências graves quando negligenciado. Poucas áreas da medicina avançaram tanto em tão pouco tempo, mas é bom não relaxar demais: quanto mais precoce, mais simples é o tratamento.

Enquanto as artérias, responsáveis por levar o sangue rico em oxigênio, contam com as ajudas poderosas do coração e da gravidade, as veias, que trazem o sangue de volta, dependem de duas forças mais modestas: a dos músculos, em especial o da panturrilha, e a de um sistema de válvulas que travam depois que o líquido passa, para garantir que não haja refluxo. Quando essas válvulas falham, o sangue passa a se acumular e as paredes dos vasos se dilatam, como bexigas. Se isso acontece nas veias mais finas, dentro da pele, o impacto é só estético; mas quando as mais calibrosas são afetadas, a circulação é ameaçada.

Os sinais de alarme podem ser inchaço, coceira, queimação, formigamento ou sensação de peso nas pernas, principalmente após viagens longas ou horas de pé. A consulta com cirurgião vascular é essencial: quanto antes você procurar esse especialista, maiores as chances de adiar uma eventual cirurgia.

Calibre e localização

Vasinhos e varizes são apresentações diferentes da mesma doença; o que os difere é a localização”, esclarece o cirurgião vascular Marcelo Dalio, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HCFMUSP - Ribeirão Preto). Os primeiros, chamados de telangiectasias, são veias finas e dilatadas que se localizam nas camadas mais superficiais da pele. Em geral, têm coloração roxa. Já as varizes são vasos dilatados, mas se localizam nas camadas mais profundas da pele e têm um tom azulado ou esverdeado. Em pessoas magras e com a pele clara, elas podem ser vistas a olho nu, enquanto em outras só podem ser observadas com os aparelhos disponíveis no consultório médico ou com ultrassom.

Quando apenas a aparência está em jogo, o tratamento para “queimar” os vasinhos dilatados fica a critério do paciente e não é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nem pelos planos privados. Mesmo assim, uma boa orientação médica pode impedir que o problema se agrave. “Os vasinhos vão inevitavelmente virar varizes; a questão é que, para alguns, a esteira anda bem devagar, enquanto, para outros, é rápido”, alerta a cirurgiã vascular Aline Lamaita, do Hospital Israelita Albert Einstein (SP).

 

  • Garanta a edição que já está nas bancas para ficar por dentro dos procedimentos e terapias para tratar vasos e varizes → http://bit.ly/2eRMOib.

 

*Por Tatiana Pronin | Ilustração Angelo Shuman | Adaptação Kelly Miyazzato.


Revista VivaSaúde | Ed. 172

Assine já e garanta 6 meses grátis de outro título

 

 

 

 

 

 



COMENTE!