assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Tratamentos para o suor excessivo

Publicado em 20 de Aug de 2015 por Marília Alencar | Comente!

Suor excessivo! Conheça as formas de tratamento e escolha a ideal para você



Texto Letícia Ronche / Foto: Shutterstock 

Suor

(Foto: Shutterstock)

Antitranspirantes: independentemente da versão, esses produtos funcionam em casos de hiperidrose branda. Os antiperspirantes contêm sais de metais, normalmente de alumínio. Quando usado em maior quantidade, deve ser receitado pelo dermatologista, já que o risco de irritação se eleva.

Medicação: atualmente, um tratamento pouco usado é o dos anticolinérgicos que são um grupo de fármacos que agem inibindo os neurotransmissores que estimulam as glândulas sudoríparas. Quando o problema está relacionado ao estresse emocional, o uso de propranolol e de ansiolíticos pode aliviar os sintomas.

Iontoforese: para casos em que acometem as mãos e os pés. Trata-se de um artifício que leva ao bloqueio temporário das produtoras de suor por meio de uma leve descarga elétrica emitida dentro de um recipiente com água. A taxa de sucesso apresentada é de 85%. Os resultados são temporários.

Toxina botulínica: a aplicação nas regiões que transpiram em excesso age no bloqueio dos neurônios que estimulam a produção de suor. Pode ser usado em mãos, pés, axilas e face, apresentando alto índice de sucesso, com efeitos que duram várias semanas. Uma complicação é uma possível fraqueza muscular.

Micro-ondas: a tecnologia aplica a frequência entre os comprimentos de onda do infravermelho e do rádio atuando na camada de pelo em que estão as glândulas responsáveis pelo suor e, em função de seu potencial sobre a água, é capaz de “cozinhar” essa estrutura. o tratamento para hiperidrose axilar é realizado rapidamente, em ambiente ambulatorial e com uso de anestesia local.

Cirurgia: duas opções dessa categoria podem ser utilizadas quando outros tratamentos falharem. Uma delas é a curetagem ou lipoaspiração da axila, que removem as glândulas sudoríparas. A outra é a simpatectomiatorácica endoscópica (ste) que envolve a remoção dos nervos da medula espinhal ao nível do tórax, responsáveis pela inervação das glândulas sudoríparas das axilas, mãos e face. este deve ser usado em último caso, pois é o procedimento mais complexo.

E, apesar de o sucesso ser praticamente garantido, a ste apresenta um efeito comum que é a sudorese compensatória. Este consiste em um suor intenso e excessivo que ocorre em outras áreas do corpo, principalmente nas costas, abdômen e pernas.

Revista VivaSaúde/ Edição 147



COMENTE!