assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Prós e contras da gravidez tardia

Publicado em 03 de Apr de 2017 por Kelly Miyazato | Comente!

Buscar estabilidade financeira é uma das suas metas antes de formar uma família e está nos seus planos engravidar após os 35 anos? Consultamos a ginecologista e obstetra Maria Elisa Noriler para explicar os prós e contras da gravidez tardia. Fique por dentro!



 

Fique atenta aos prós e contras de
engravidar após os 35 anos

Se você tem o propósito de muitas mulheres de priorizar o lado profissional e buscar estabilidade financeira antes de formar uma família, é necessário ficar atenta aos cuidados extras, como explica Maria Elisa Noriler ginecologista e obstetra (SP). Confira os prós e contras da gravidez tardia apontados pela especialista:

- A vantagem de optar por ter filhos após os 35 anos é poder contar com uma maior maturidade da mulher e, assim, mais facilidade para lidar com as fases gestacionais. A possibilidade de estar mais estabilizada financeiramente propicia à futura mamãe, nesta fase mais madura, planejar como se dará o processo, assim como seguir as recomendações médicas durante o pré-natal.

“Diferentemente dos homens, que contam com a renovação dos espermas a cada 60 dias, após os 35, as mulheres possuem uma reserva uterina em torno de 10%. Portanto, ao optar por engravidar nesse período, é preciso observar se não há histórico familiar de mães ou irmãs com antecedente de falência precoce dos ovários. Contudo, também há a possibilidade de congelar os óvulos”, acrescenta e chama a atenção para os riscos dessa decisão:

- Diabetes gestacional e hipertensão que podem desencadear uma antecipação do parto;

- Ter um bebê com problema cromossômico, relacionado à idade materna avançada, como exemplo a Síndrome de Down.

- Metabolismo mais lento pode ocasionar mais ganho de peso na gestação;

- Maior risco para malformações do bebê;

- Maiores chances de desenvolver eclâmpsia.

Maria Elisa conclui ao recomendar os devidos cuidados: “Realizar exames periódicos, como por exemplo, a ultrassonografia morfológica com especialista em medicina fetal; adotar hábitos alimentares saudáveis e procurar se manter no peso ideal, praticar atividade física regularmente, não fumar e também estar em dia com o calendário de vacinas são essenciais para evitar problemas durante a gestação”.

 

*Por Kelly Miyazzato | Foto Coleção Especial Diabetes Durante a Gestação (Fabrizio Pepe, Danilo Tanaka, Escala Imagens e Shutterstock) | Agradecimentos à Maria Elisa Noriler, especialista em ginecologia e obstetrícia (SP).

 

 

 

 

 

 

 



COMENTE!