Super Banner

Por que perdemos o olfato?

Publicado em 25 de Jun de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Gripe, câncer e Alzheimer são algumas das causas da perda do olfato. Conheça os principais motivos deste problema



Texto: Samantha Cerquetani / Ilustração: Luiz Lentini / Adaptação: Ana Paula Ferreira

Doenças como o Alzheimer ou Parkinson  levam à degeneração dos neurônios de todo o

cérebro e das células nervosas de todo o corpo, incluídas as sensoriais olfativas.

Ilustração: Luiz Lentini

A diminuição ou ausência olfativa tem causas variadas. Traumatismo, gripe, câncer, e doenças como Parkinson e Alzheimer estão entre elas. Confira abaixo os principais motivos da perda do olfato:

Sofri um traumatismo e o problema apareceu

Os traumatismos da face ou na base do crânio podem levar a hiposmia e anosmia (diminuição e perda do olfato). Tal situação ocorre porque o impacto pode seccionar fibras nervosas que são responsáveis pelo olfato. Se o traumatismo for muito grande, causa uma perda irreversível do sentido.

Ocorreu quando inalei substâncias químicas

Quando o indivíduo inala substâncias químicas, as terminações nervosas do nervo olfativo podem ser destruídas. Esses produtos são cáusticos para as narinas e podem levar à anosmia, já que afetam o epitélio olfatório, onde existem células que transformam os aromas e cheiros em estímulos nervosos.

O câncer diminuiu o meu olfato

Por ser uma proliferação de células malignas, o câncer destrói os tecidos que são atingidos por estas células e pode levar à anosmia. É comum nos casos de câncer de face, nariz, base de crânio e também cerebrais que atingem as vias olfatórias. Tumores das fossas nasais ou intracranianos podem bloquear o acesso do ar à zona olfativa. A quimioterapia e a radioterapia desencadeiam o problema, pois podem destruir as células normais.

Sinto a perda de olfato após problemas respiratórios

Quadros de sinusite, gripe ou asma aumentam as secreções nasais e impedem o acesso do ar à área olfativa. O problema é transitório e com o tratamento adequado, a obstrução nasal termina, a respiração se normaliza e a pessoa volta a sentir os odores.

Surgem em quadros de doenças como Alzheimer ou Parkinson

Essas doenças levam à degeneração dos neurônios de todo o cérebro e das células nervosas de todo o corpo, incluídas as sensoriais olfativas. Como os neurônios não funcionam corretamente, há a diminuição ou perda total do olfato.

Com o desvio de septo a hiposmia apareceu

É uma causa comum de diminuição do olfato (hiposmia), quando ocorre o desvio de septo à uma obstrução nasal e dessa forma os odores não chegam à cavidade nasal. Quando o desvio é corrigido, a perda do olfato termina. A correção é feita com uma cirurgia ambulatorial (septoplastia), que é realizada por dentro do nariz.

Revista VivaSaúde edição 108

 



COMENTE!