assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Os erros de quem usa lentes de contato

Publicado em 01 de Apr de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Quem as usa sabe que elas são cômodas, mas essa praticidade pode levar à falta de cuidados capazes de causar infecções. Conheça quais são os erros mais comuns de quem usa lentes de contato



Texto: Fernanda de Almeida / Foto: Shutterstock / Adaptação: Ana Paula Ferreira

Dormir com as lenteas pode aumentar a chance de infecção, a menos quando se usam lentes

que são indicadas para uso contínuo. Foto: Shutterstock

Dizem que os olhos são a janela da alma. É principalmente através deles que podemos captar o mundo com toda a sua variedade de cores e elementos. Cuidar bem dos olhos e garantir-lhes boa saúde podem melhorar a a qualidade de vida de qualquer um. É justamente esse o objetivo das lentes de contato: oferecer conforto e liberdade para as pessoas que precisam de algum tipo de correção na visão.
Para o presidente da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (SOBLEC-SP), César Lipener, as lentes representam muito mais: “Dependendo do problema visual que a pessoa apresenta, a lente promove uma melhora na visão que pode ser significativa, pois ela tem vantagens ópticas em relação aos óculos. Por exemplo, uma pessoa com 10 graus de miopia enxerga bem melhor com as lentes de contato, além de ter uma qualidade maior em sua visão”.
Segundo dados da SOBLEC, estima-se que cerca de 125 milhões de pessoas no mundo usem lentes de contato (2% da população mundial)) e 95 milhões delas dependem desse aparato. No Brasil, há perto de 2,5 milhões de usuários. “Todos que usam óculos por algum motivo são potentes candidatos a serem usuários das lentes de contato”, define a oftalmologista Meibal Junqueira, do Instituto de Moléstias Oculares (IMO).

 

Os erros mais comuns:

Trocar com alguém
As lentes são pessoais e intransferíveis. Trocar de lente com outra pessoa pode facilitar o contágio e transmissão de bactérias.

Limpar com soro fisiológico
Hoje existem soluções multiuso que limpam e desinfetam as lentes de forma eficaz. Não se deve usar soro fisiológico para limpeza, pois ele não tem essa propriedade e dependendo do soro, pode estar contaminado ou conter substâncias tóxicas aos olhos.

Aproveitar até as maquiagens antigas
É possível utilizar maquiagem com as lentes, mas alguns cuidados devem ser tomados: Colocar as lentes antes de se maquiar; aplicar a sombra e o lápis suavemente, para não empurrar ou danificar as lentes; não aplicar delineador na sua pálpebra interna (dentro dos seus cílios); usar maquiagem não oleosa e sem fragrância; substituir a máscara para cílios (rímel) todos os meses, o delineador a cada três meses, a sombra de olhos a cada seis meses – para evitar contaminação; retirar as lentes antes de retirar a maquiagem dos olhos.

Dormir com elas
Pode aumentar a chance de infecção, exceto quando se usam lentes que são indicadas para uso contínuo, mesmo para dormir, pois permitem uma melhor oxigenação adequada da córnea. Ainda assim, a melhor opção é tirar a lente toda noite.

Não dispensar sprays no cabelereiro
Sprays e produtos químicos utilizados nos salões de beleza possuem substâncias que podem ficar impregnadas nas lentes, causando muita irritação aos olhos. O ideal é fechar os olhos quando for aplicar esses produtos.

Orientação médica
A adaptação ao olho do usuário deve ser feita por um profissional. A lente deve ser “personalizada”. Há sérios riscos em comprar lentes de contato em óticas, internet, feiras livres e começar a usar sem orientação médica.

 

Higienizar com saliva
Nunca limpe as lentes com saliva. A boca acumula microorganismos e bactérias em nosso corpo, e podem causar inflamações nos olhos.

Ocultar tratamentos
Certos medicamentos podem diminuir a produção de lágrimas e interferir no conforto, como os anticoncepcionais, medicamentos de uso psiquiátrico, anti-histamínicos, entre outros. Fale com seu médico.

Deixar de tirá-las na hora certa
O tempo de uso das lentes vai depender da sua permeabilidade ao oxigênio, ou seja, a capacidade de uma lente de contato transportar oxigênio do ar para a córnea é que determina o número de horas de uso. Esse tempo não é igual para todos, por isso, o ideal é confirmar o tempo de uso com seu oftalmologista.

Usar colírio inadequado
Alguns colírios possuem substâncias químicas que ficam impregnadas nas lentes, causando muita irritação aos olhos. O mais indicado é o colírio lubrificante, que faz as vezes de lágrima artificial e evita o ressecamento do globo ocular. E vale ressaltar: até mesmo os produtos lubrificantes não devem ser aplicados a toda hora, procure utilizá-los no máximo cinco vezes ao dia.

Abusar das condições ambientais
Ambientes muito secos, uso prolongado de ar-condicionado ou ventiladores direcionados para o rosto são prejudiciais. Mas usar colírios lubrificantes pode evitar o ressecamento ocular. Ambientes muito poluídos ou com produtos químicos devem ser evitados.



COMENTE!