assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

O uso correto da pílula do dia seguinte

Publicado em 30 de Apr de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Após falhar com outros métodos contraceptivos, esta é a última chance de se prevenir contra uma gravidez indesejada. Porém, se usada da maneira errada, não resultará no efeito esperado. Saiba como usar a pílula do dia seguinte



Texto: Ana Paula Ferreira / Foto: Reprodução

A pílula do dia seguinte é um método que deve ser usado apenas em casos de emergência, com

orientação médica, e num momento desprotegido. Foto: Reprodução

Todos sabem que o uso de preservativo em relações sexuais é indispensável, tanto para a prevenção de doenças quanto para evitar uma gravidez indesejada. Porém, algumas vezes podem acontecer incidentes, como a camisinha estourar ou falhar com o uso da pílula diária. Para isso, existe a pílula do dia seguinte.

Equivalente a quase uma cartela inteira de anticoncepcionais, a pílula deve ser usada logo após a relação desprotegida. “Ela tem uma eficácia maior quando tomada em até 72 horas depois do coito desprotegido. Então, o ideal é que seja usada assim que possível”, explica a ginecologista obstetra, Maria do Socorro Cabral Jage. De acordo com a doutora, quanto mais tempo passar, menor é sua eficácia: “Nas primeiras 24 horas depois da relação, a pílula tem 95% de eficácia; 85% depois de 48 horas e, após 72 horas, apenas 58%”.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais causados pelo uso da pílula do dia seguinte podem ser os mesmos dos anticoncepcionais convencionais: náuseas, tonturas, dores de cabeça, dores no corpo e vômitos. Por conta de sua alta dosagem hormonal, mulheres fumantes ou sedentárias também correm o risco de terem trombose e AVC (acidente vascular cerebral).“Algumas mulheres usam duas, três vezes ao mês. Isso faz com que corram maior risco de terem efeitos colaterais”, explica Carla Cecarello, psicóloga, sexóloga e coordenadorado projeto Ambisex.

O uso contínuo do método contraceptivo pode também causar irregularidade do ciclo menstrual. Quanto mais jovem for a menina, mais chances há de sua menstruação ficar desregulada.

Pílula do dia seguinte x cartela de anticoncepcional

Ao falharem com a sequência da cartela de anticoncepcional, algumas mulheres optam por tomar a pílula do dia seguinte apenas por precaução. Mas após o uso desta bomba de hormônios, o que fazer com o uso contínuo do outro método?

“Se ela esquecer o anticoncepcional um único dia do mês não precisa tomar a pílula do dia seguinte. Ela pode tomar duas drágeas no dia seguinte ao que esqueceu”, explica Carla. Este processo deve ser feito para não prejudicar o uso da pílula anterior.

Atenção à frequência do uso

Existem diversas dúvidas a respeito da pílula do dia seguinte. Uma delas é se o uso frequente ou constante do método pode resultar na perda de efeito.

De acordo com Maria, isso não ocorre. “Se tomar no mesmo ciclo, antes de menstruar, a pílula não terá a mesma eficácia. Mas se ela for usada num certo mês, e dois ou três
meses depois ser usada novamente, ela não perde o efeito”.

Contudo, é preciso estar ciente de que este é um método que deve ser usado apenas em casos de emergência e com orientação médica. “Muitas meninas a usam sem necessidade, principalmente adolescentes. A pílula deve ser usada em seu período fértil, num momento desprotegido, e não a qualquer momento”, alerta.