Super Banner

Motivos que causam o mal hálito

Publicado em 29 de Apr de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Esse constrangimento pode estar ligado ao estresse, problemas gástricos e, com mais frequência, à má higienização da boca. Veja quais os motivos que causam o mal hálito



Texto: Fernanda Emmerick / Ilustração: Luiz Lentini / Adaptação: Ana Paula Ferreira

O estresse é um dos motivos do aparecimento do mal hálito, pois a pessoa estressada costuma

respirar com a boca abertacomer mais rápido e fazer sua higiene pessoal com menos tempo. 

Ilustração: Luiz Lentini

A halitose, nome científico do desagradável mau hálito, é o odor lançado pelos pulmões. Geralmente, é percebido primeiramente por outras pessoas e não por quem possui o sintoma. Os motivos podem ser de caráter salivar, como a formação de saburra (placa esbranquiçada que se forma na língua), e periodontais, que estão ligados à gengiva.

A halitose crônica é consequência de outras patologias e apenas algumas causas são fisiológicas, sendo assim momentâneas, como o mau hálito matinal, que é comum e acontece devido à diminuição do fluxo salivar que ocorre no período do sono.

O portador que desconfia do mau cheiro, ou é alertado por alguém, deve fazer um teste para descobrir a causa do problema e tratá-lo. Os maus cuidados com a higiene bucal, que deixam restos de alimentos entre os dentes ou recessos atrás da tonsila, e a parte digestiva também são culpados.

Veja abaixo alguns dos motivos que podem causar o mal hálito:

Problemas gástricos

O bom funcionamento do estômago e do intestino é essencial para a digestão adequada dos alimentos. Quando não trabalham perfeitamente, podem causar o refluxo gastroesofágico, popularmente conhecido como azia, que é um dos principais causadores da halitose. A gastrite também pode surgir, trata-se de uma doença inflamatória que agride a camada de tecido mais superficial que reveste o estômago, denominada mucosa gástrica. Para o tratamento de ambas, é necessário que o médico avalie a causa exata, porém o paciente pode corrigir os hábitos alimentares, evitar utilizar medicações como a aspirina, bebidas alcoólicas e o uso de cigarro.

Insuficiência renal

Ocorre quando os rins perdem a capacidade de realizar as funções básicas. Pode ser aguda, fazendo com que a função renal desapareça subitamente, ou crônica, quando o processo ocorre progressiva e lentamente. Os gases formados nos rins, que são voláteis, acabam sendo absorvidos e caem na corrente sanguínea. Logo após, são liberados pela respiração e dão origem ao mau hálito. Para o tratamento, é recomendada a desobstrução da saída da urina, portanto, não deixe de procurar um médico nefrologista.

Insuficiência hepática

A insuficiência hepática surge como consequência de perturbações sofridas pelo fígado, como a cirrose ou a hepatite viral. Uma enorme parcela do órgão é afetada e a pessoa passa a ter alterações cerebrais, cansaço, náuseas e odor bucal. Os gases que estão no fígado são absorvidos, mas não são metabolizados e caem na corrente sanguínea, sendo liberados pelo hálito. O tratamento dependerá do diagnóstico de causas expecíficas, mas recomenda-se uma dieta rigorosa, com ingestão de sódio e proteína controlada, além da proibição absoluta do consumo de bebidas alcoólicas. Se não tratada a tempo, e corretamente, pode ser fatal.

Estresse

A agitação e a ausência de uma rotina equilibrada também contribuem para a aparição da halitose. Caso o paciente possua redução do fluxo salivar — hipossalivação ou hipossialia — ou alterações da qualidade de saliva com um nível de estresse elevado, irá liberar muita adrenalina, o que gera diminuição de saliva. Além disso, na medida em que a pessoa estressada costuma respirar com a boca aberta, comer mais rápido e fazer sua higiene pessoal com menos tempo, abre-se espaço para que o mau hálito apareça.

Sinusite

Uma das principais causas é a sinusite, doença que tem base infecciosa ou inflamatória e atinge a região nasal, provocando fortes dores de cabeça, espirros, corrimento nasal e mau cheiro na boca. Ocorre um gotejamento de secreções procedentes dos seios da face e, uma vez que são ricas em proteína, essas secreções passam por trás da faringe e das papilas da boca , alimentam as bactérias e originam o mau hálito. Para tratar a doença, deve-se procurar um médico e pode ser necessário uso de antibióticos como maneira de controlar a infecção e evitar desconfortos.

 



COMENTE!