assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Dor nos joelhos é uma das principais queixas masculinas

Publicado em 28 de Oct de 2015 por Marília Alencar | Comente!

Uma das principais reclamações masculinas se refere à dor nessa articulação tão importante das pernas. Entenda o motivo, previna-se e trate de uma vez



Texto Letícia Ronche / Foto: Shutterstock 

Joelho

(Foto: Shutterstock)

Vamos ao check-list básico de saúde: cabeça, OK; ombro, OK; joelho, doendo; pé, OK. As dores que envolvem os joelhos estão entre as principais queixas, tanto masculinas quanto femininas. “Isso acontece porque estes representam uma articulação considerada de carga, ou seja, sustenta todo o nosso peso. Além disso, toda a musculatura dos membros inferiores está ligada à articulação dos joelhos, recebendo grande impacto e sobrecarga nas mais diversas atividades”, afirma Moisés Cohen, professor titular e chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e presidente da Sociedade Mundial de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Trauma Desportivo (ISAKOS).

Mas, então, por que esse problema está tão associado aos homens? Cássio Trevizani, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), explica que, se considerarmos as principais causas de dores no joelho, pode-se afirmar que o incômodo é uma queixa mais frequente entre os homens pela alta taxa de participação deles em atividades de risco, como esportes com alto impacto com o solo, o que aumenta a chance de traumas ou degenerações de cartilagens ou de tendões.

Guerra dos sexos

É importante entender que não há diferença na estrutura anatômica do joelho de homens e mulheres. Porém, o alinhamento do membro inferior como um todo é diferente. “O joelho das mulheres é em média cinco graus mais desviado para dentro e elas também têm mais flexibilidade”, conta Tomas Mosaner de Souza Moraes, ortopedista e médico do esporte membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). Isso acontece pelo simples fato de a figura feminina se apresentar com o quadril mais largo. É importante lembrar, ainda, que a potência e a força musculares são diferentes entre os sexos.

Atletas de fim de semana

O ortopedista Fabiano Nunes Faria, do Hospital Beneficência Portuguesa (SP), diz que a musculatura da mulher é menos desenvolvida que a do homem, sendo esta primordial no bom funcionamento do joelho, tanto na prevenção de sobrecarga quanto no aumento da estabilidade do joelho.

Mas a grande questão que torna os homens mais suscetíveis é a falta de preparo ao praticar esporte – os atletas de fim de semana estão no topo dessa lista. “Os principais hábitos que causam essas dores são a prática irregular de atividades físicas, sem devidos preparos e orientação, o aumento abusivo da carga, visando ao ganho rápido de resultados, a prática de atividades com impacto e principalmente a obesidade”, reforça Cohen. Manter-se ativo fisicamente é essencial para a saúde, mas isso deve ser feito com o auxílio de especialistas.

Ouça mais seu corpo

As primeiras manifestações de que algo não vai bem são a dor persistente no joelho antes ou depois da atividade física, incômodo ao permanecer muito tempo sentado, ou descer ou subir escadas, sensação de que o joelho falha em algumas situações, perda da mobilidade da articulação, travamento, vermelhidão e inchaço.

“Mas independente da causa da dor, articular ou muscular, continuar praticando exercícios prejudica a situação”, alerta Trevizani. O ortopedista da Beneficência Portuguesa acrescenta que normalmente certo grau de dor pode ser observado no início da atividade, sem que isso realmente prejudique a articulação. Mas uma dor que não cede com o repouso, que aumenta como tempo, e é muito intensa durante todo exercício, é sinal de alerta.

E o ensinamento do dia é que não se deve negligenciar qualquer incômodo. O médico Trevizani alerta para alguns dos riscos que o joelho corre com o desgaste de cartilagem– camada de tecido liso que recobre os ossos dentro da articulação para facilitar o deslizamento. A longo prazo ele pode gerar artrose, desgaste de tendões pelo uso repetitivo de forma descoordenada ou sem musculatura preparada, quando não traumáticos. “Em casos de traumas, destacamos entre as maiores complicações as lesões de ligamentos de tendões ou as fraturas dos ossos”, conclui o ortopedista. Porisso, prevenir é preciso.

Revista VivaSaúde/ Edição 149



COMENTE!