assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Dia Nacional e Mundial da Psoríase

Publicado em 29 de Oct de 2017 por Kelly Miyazato | Comente!

Você sabia? A manifestação da doença inflamatória considerada crônica se se dá na pele da seguinte maneira: lesões róseas ou avermelhadas recobertas por escamas esbranquiçadas. E, embora não seja possível evitar a Psoríase, os cuidados são essenciais para aliviar os sintomas. Fique por dentro!



 


Dia Nacional e Mundial da Psoríase

  • O problema pode atingir também as articulações, mas não se trata de uma doença contagiosa. As causas ainda não foram definidas, mas sabe-se que há uma predisposição genética que, diante de um fator desencadeante, muitas vezes desconhecido, provoca uma cascata inflamatória que leva à formação de placas na pele. Apenas 1/3 dos pacientes apresentam a enfermidade em sua forma grave, o que ocorre quando mais de 10% da superfície corporal está comprometida. O tratamento consiste no bloqueio da inflamação, evitando a formação de placas no tecido cutâneo. Tratamentos tópicos com cremes de corticoide e/ou calcipotriol são indicado nos indivíduos com placas localizadas e poucas lesões. A fototerapia é recomendada em casos intermediários ou, particularmente, na psoríase gutata – comum em adolescentes após infecção bacteriana de garganta. Usam-se, ainda, medicações sistêmicas nos casos graves e nas situações em que haja comprometimento das articulações.

*Quem responde: Lincoln Helder Zambaldi, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

  • A enfermidade se instala gradualmente e há diversos fatores relacionados ao aparecimento das erupções psoríacas. Como, por exemplo, o traumatismo local, queimadura solar intensa, medicamentos tópicos, a suspensão do uso de corticoides, baixas imunidade e umidade do ar.

O tratamento consiste na aplicação de agulhas finas em diversos pontos que variam de paciente para paciente. Elas são postas ao redor ou até mesmo na própria lesão. Pode ser associada à auriculoacupuntura, na qual são colocadas sementes em alguns pontos na orelha. Outros procedimentos podem ser utilizados. As sessões duram, em média, 20 a 30 minutos, uma ou duas vezes por semana. E deve ser associada a tratamentos convencionais para diminuir os espaços entre as crises ou tornar a área afetada menor, mas não suprime sua manifestação.

*Quem responde: Fabio Sawada Shiba, acupunturista membro do Colégio Médico de Acupuntura e Neurologia.

  • A homeopatia define doença como uma oscilação de energia do ser vivo. A psoríase seria uma das manifestações exteriorizadas desse desequilíbrio. Diversos fatores desencadeiam a enfermidade, entre eles o hereditário, o emocional e o ambiental. A prática unicista, que utiliza apenas um medicamento de cada vez, parte do princípio de que as lesões na pele são o reflexo da desarmonia da energia de uma pessoa, o que afeta a sua mente. O tratamento homeopático tem como objetivo a estabilidade do paciente como um todo. Medica-se o doente e não a doença. Então, avalia-se o indivíduo, suas características comportamentais, sua maneira de agir e seus sofrimentos. Feito isso, um dos três mil remédios homeopáticos possíveis é escolhido. A melhora deve ocorrer do mental para a pele, sendo esta a última região a se restabelecer.

*Quem responde: Sergio Eiji Furuta, homeopata e Presidente da Associação Paulista de Homeopatia.

 

*Por Letícia Ronche | Ilustração Tato Araújo | Adaptação Kelly Miyazzato.

 

Revista VivaSaúde | Ed. 126

Assine já e garanta 6 meses grátis de outro título

 

 

 

 

 

 

 



COMENTE!