assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Conheça os tipos de dor de cabeça

Publicado em 13 de Feb de 2014 por Leticia Maciel | Comente!

90% das dores de cabeça são do tipo funcional, onde o incômodo é a própria causa do problema. Descubra quais são os tipos e as causas da dor de cabeça



Texto: Revista VivaSaúde Especial Dor de Cabeça/ Foto: Shutterstock/ Adaptação: Letícia Maciel 

Exercícios físicos podem ajudar no processo de controle desse mal
Foto: Shutterstock 

O grande número de tipos de dor de cabeça representa as diferentes causas para ela. Os sintomas também serão variáveis, de acordo com a modalidade de dor. A cefaleia tensional é o tipo mais comum que existe. Por não ser tão intensa e incapacitante, faz com que seus portadores, mesmo crônicos, não procurem tanto a ajuda médica como, por exemplo, fazem os sofredores de enxaqueca, segundo informa Krymchantowski. Já na enxaqueca a dor aparece porque há inflamação de artérias da cabeça, quando o processo de crise se inicia no cérebro.

Essa é uma doença cuja origem é tipicamente genética. Outro tipo de dor de cabeça primária identificada na literatura médica é a dor de cabeça em salvas. Trata-se da categoria mais intensa descrita pelos especialistas. Os indivíduos que sofrem do problema costumam caracterizá-lo como violentas “facadas”. Essa não é uma modalidade tão comum quanto as outras dores de cabeça orgânicas, como as enxaquecas e as do tipo tensional: a cefaleia em salvas compromete de 0,1 a 0,4% da população apenas, sendo que os homens são mais acometidos do que as mulheres. Seja qual for o tipo do problema, o diagnóstico é sempre clínico.

Dores de cabeça primárias

Enxaqueca: Os pacientes com enxaqueca receberam de alguém da família os genes da doença. Suas crises se apresentam como uma dor do tipo pulsátil ou latejante (podendo ser em pressão ou aperto) nas regiões da fronte e têmpora. A dor se apresenta mais de um lado da cabeça (em 40% dos pacientes é dos dois lados). Inicia-se leve e progressiva; a intensidade varia entre moderada ou severa. Geralmente incapacita o paciente para as suas atividades normais e tende a piorar com esforços ou atividades físicas. Duram em média de 4 a 72 horas quando não são tratadas, ou o são de forma ineficaz, geralmente terminando de forma gradual. Em geral, as enxaquecas estão associadas a sintomas como enjoo ou vômitos e intolerância à claridade ou a ruídos. Após as crises, algumas pessoas sentem-se bem, enquanto outras, como se um “trator” tivesse passado por suas cabeças, sentindo, até, dor intensa no couro cabeludo.

Cefaleia tensional: A dor de cabeça mais comum existente não costuma ser tão intensa ou incapacitante. Ao contrário do que muitos pensam, esse tipo de dor de cabeça não tem relação direta com a tensão emocional, mas, sim, com a tensão ou contração exagerada, anormal e mantida de grupos musculares dos ombros, pescoço, couro cabeludo e até face. Existem basicamente dois tipos de dor de cabeça tensional: as episódicas e as crônicas. As dores de cabeça do tipo tensional episódicas são extremamente comuns e moderadas. Porém, assumem caráter problemático e incômodo quando passam a ocorrer mais de 15 dias por mês, configurando o caráter crônico. A dor de cabeça do tipo tensional se caracteriza por peso, pressão ou aperto na cabeça, habitualmente localizadas na fronte, na nuca ou no topo da cabeça. Pode melhorar com atividade física ou relaxamento. A dor pode durar de horas a até sete dias, tendo uma frequência muito variável.

Cefaleia em salvas: Também é uma dor de cabeça primária. As causas são desconhecidas, mas parece haver uma disfunção em um núcleo de uma importante estrutura cerebral chamada hipotálamo. É uma dor rara, mas considerada pior: os sofredores de dor de cabeça em salvas adotam medidas desesperadas durante as crises para tentar aliviar a dor. Ela se apresenta de forma rítmica, fazendo que alguns pacientes consigam prever o horário da próxima crise, provocando grande ansiedade. “Salva” é o período de tempo (dois a quatro meses) durante o qual as dores se manifestam. Em geral elas apresentam-se sempre do mesmo lado da cabeça, em volta do olho, mas podem também ser na fronte, têmpora e até na face. Têm alta intensidade, duração de 15 minutos a três horas e aparecem em dias seguidos ou alternados; com frequência entre uma e oito vezes por dia, se manifestam em horas semelhantes e comumente acordam os seus portadores no meio da noite. A dor desaparece sozinha para retornar após períodos variados de tempo, que podem ser anos, comumente nas mesmas épocas.

Dores de cabeça secundárias

Representam apenas 10% dos tipos de dores de cabeça e são o resultado de outras doenças. Quaisquer situações que provoquem alterações nas estruturas do cérebro podem levar a elas. O crânio tem um “conteúdo” que não pode variar em tamanho ou quantidade. Se isso ocorrer, acarretará um aumento de pressão que irá comprimir ou pressionar áreas do próprio cérebro gerando dor de cabeça.

A mais preocupante das causas de compressão são os tumores, mas dores de cabeça decorrente deles são raras. no entanto, essa é a maior preocupação dos que procuram um médico com esta queixa. Em geral, a dor de cabeça de um tumor cerebral é localizada mais de um lado ou só de um lado, sobre a área do tumor. É intensa pela manhã, piorando com movimentos da cabeça, e aumenta de intensidade ao longo do tempo, até tornar-se contínua. Outras causas podem levar ao aumento da pressão: abscessos cerebrais, hematomas cerebrais, irritação das meninges, pancadas na cabeça, doenças dos vasos sanguíneos, entre outras.

Revista VivaSaúde Especial Dor de Cabeça