assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Como a medicina quântica pode influenciar a sua vida

Publicado em 01 de Jan de 2015 por Marília Alencar | Comente!

Entenda este novo paradigma da ciência, que vê a doença como uma oportunidade e confere ao paciente a capacidade de escolher a saúde



Texto Cristina Almeida/ Fotos: Shutterstock/ Adaptação: Marília Alencar 

Medicina quântica 
(Foto: Shutterstock) 

Suponha que você tenha esperado meses para consultar determinado especialista. Após análise cuidadosa de seus exames e atenta pesquisa de seu histórico médico, ele lhe diz: “Agora que você tem a doença, pode dar a ela um significado positivo, em vez de um negativo”. Antes que você expresse sua perplexidade, o médico acrescenta: “A doença é uma oportunidade de autoconhecimento. Sua mente, energias vitais e representações físicas poderão, finalmente, atuarem perfeita harmonia, levando-o à cura”.

 Parece estranho, mas esse seria um diálogo possível no consultório de um especialista quântico, para quem a consciência funciona como remédio, e quando acionada, pode corrigir patologias e restabelecer a saúde. Para entender os fundamentos da Medicina (ou Saúde) Quântica, primeiro é preciso conhecer algumas noções básicas de Física Quântica. Todo mundo já ouviu falar da teoria da relatividade, cujo autor é Albert Einstein. Em 1905, o cientista comprovou que toda matéria é uma forma de energia. A partir dessas conclusões, anos depois, os físicos Niels Bohr e Werner Heisenberg desenvolveram outra teoria: um quantum – unidade básica da matéria ou energia – é de 10 a 100 milhões de vezes menor do que um átomo e, nesse ponto, há uma interligação entre matéria e energia. Considerando que cada quantum é composto por vibrações invisíveis –q ue o médico Deepak Chopra, autor do livro Saúde Perfeita (Best Seller), denomina “fantasmas de energia à espera de assumir formas físicas” – a ideia fundamental da Física Quântica é a probabilidade.

Embora esses conceitos possam parecer complexos, o físico quântico Amit Goswami, autor do livro O Médico Quântico (Cultrix), afirma que entender o funcionamento da Medicina Quântica requer apenas a compreensão da seguinte mensagem básica: “os objetos são possibilidades quânticas, que podem ser escolhidas pela consciência. Uma vez entendido esse conceito, é muito fácil saber que é possível escolher a saúde, e não a doença – desde que se aprenda a acessar um estado de consciência onde a escolha quântica é feita”.

Clássicos e quânticos

A medicina vê o paciente como uma máquina: da mesma forma como considera os remédios, cirurgias, transplantes de órgãos e radiações. A proposta da Medicina Quântica é contemplar o paciente como pessoa. Mas essa perspectiva não dispensa os benefícios da medicina convencional, só ultrapassa seus limites. O objetivo é integrar a alopatia e a medicina complementar, principalmente porque muitas de suas modalidades já pressupõem a presença da consciência, admitida a existência de dimensões acima dos sistemas mecânicos. Exemplos desses métodos terapêuticos seriam a medicina oriental (acupuntura, ayurveda), as curas espirituais e a medicina mente-corpo.

(Foto: Shutterstock)

Outro aspecto ressaltado por Amit Goswami é o fato de que a medicina convencional parte da premissa de que a doença tem como causa agentes externos (germes, bactérias, vírus), ou alguma disfunção mecânica nos órgãos. Assim, a cura se dá com o tratamento dos sintomas da doença até que eles desapareçam. Os meios para atingir esse objetivo são os remédios, as cirurgias etc. “Uma medicina do tipo mente-corpo parte do princípio de que a doença é consequência de um problema mental, e a cura consiste na autocorreção do problema pelo indivíduo, para o restabelecimento da saúde”, explica o físico.

Salto para a cura

Meditando sobre a teoria dessas probabilidades, Deepak Chopra, na década de 80, passou a buscar uma explicação para a autocura. A conclusão a que chegou foi a de que algumas pessoas se restabelecem porque são capazes de ativar uma faculdadede percepção interior que atua como um salto drástico – salto quântico – no mecanismo da cura. Mas como isso seria possível? Amit Goswami diz que, nesses casos,“um pensamento, uma emoção ou uma crença” pode ser a mola propulsora do processo de cura. Ainda parece complicado? O médico indiano cita o modelo da medicina ayurveda, que considera o corpo humano como algo único e formado por intensas vibrações invisíveis (vibrações quânticas), que se fundem em impulsos de energia e partículas de matéria. Esse complexo constitui a base de tudo o que somos: emoções, proteínas, células e órgãos. Para o ayurveda, todos os órgãos e sistemas do corpo possuem um equivalente quântico. Imagine uma holografia: “Você tem um pulso quântico, além do físico, e um coração quântico que o impulsiona”, diz Chopra. “Ao tratar o próprio corpo mecânico quântico, o ayurveda pode causar mudanças mais profundas que as alcançadas pela medicina convencional. Isso acontece porque a energia disponível no nível quântico é infinitamente maior”, explica o médico.

Revista Viva Saúde / Edição 81



COMENTE!