assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Alzheimer: saiba o que muda no comportamento de acordo com os estágios da doença

Publicado em 21 de Sep de 2017 por Kelly Miyazato | Comente!

Além da perda de memória, listamos algumas alterações de comportamento de acordo com os estágios da doença. Confira!



 

Descrição da imagem vem aqui!!!!

Se você não tem um caso na família, tem algum conhecido envolvido nos cuidados de uma pessoa com a doença de Alzheimer. Considerada a causa mais comum de demência em todo o mundo, esta é uma das doenças que provoca ansiedade em todos, gerando um enorme custo emocional e financeiro. As estatísticas mostram que, para quem chega aos 85 anos de idade, o risco de desenvolver essa enfermidade é de 50%, ou seja, bem razoável. As principais marcas do Alzheimer são o acúmulo de duas proteínas — beta-amiloide e TAU.

Enquanto a primeira leva à formação de placas que impedem a comunicação entre os neurônios, a segunda gera um novelo, ou emaranhado, que termina por matar a célula nervosa. Tal processo — que se instala até 20 anos antes de o indivíduo ter qualquer sintoma — leva a uma atrofia cerebral progressiva.

Fique por dentro e saiba o que muda no comportamento de acordo com os estágios da doença de Alzheimer

  • Fase inicial

- Lapsos na memória recente.
- Mudanças de comportamento: introvertido fica falante, ou vice-versa.
- Senso de direção comprometido.
- O doente se perde.
- Atitude mais agressiva que a normal, às vezes sem justificativa aparente.
- Dificuldade em fixar informações novas.
- Teimosia. O doente diz que não há nada de errado.

  • Intermediária

- A perda de memória se intensifica.
- Repetição infinita de informações.
- Estranhamento constante da própria casa e dos pertences.
- Alternância de momentos de lucidez e confusão mental.
- Estresse psicológico e depressão.
- Agressividade quando é contrariado.
- Começa a dependência física: algumas atividades se tornam penosas e outras perigosas.
- Esquece palavras óbvias.

  • Grave

- Dependência física total, os comandos cerebrais já foram destruídos.
- Não anda e quase não fala.
- Não reconhece ninguém, nem a si mesmo.
- Aparecimento de infecções, especialmente urinária e pneumonia.
- A deglutição fica prejudicada.
- Surgimento de feridas e problemas de circulação, por passar longos períodos sentado ou deitado.


*Por Tatiana Pronin | Fontes "Doença de Alzheimer - O Guia Completo" (MG Editores), de Judes Poirier e Serge Gauthier; National Institutes Of Health (NIH); Alzheimer'S Association (ALZ.ORG); Thiago Mônaco (Geriatra e Professor da Faculdade de Medicina Uninove) | NeusaVieira nutricionista (Unifesp) - Suplementos | Ilustração Melissa Lagôa | Adaptação Kelly Miyazzato.



Revista VivaSaúde | Ed. 162

Assine já e garanta 6 meses grátis de outro título

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



COMENTE!