assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

3 formas de se livrar da sinusite crônica

Publicado em 10 de Jun de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

A incômoda inflamação que acomete as mucosas dos seios da face pode ter como sintomas febre, cansaço e perda de apetite. Conheça 3 formar de tratar a sinusite crônica



Texto: Diego Benine / Foto: Shutterstock / Adaptação: Ana Paula Ferreira

Para o tratamento da sinusite crônica através da medicina tradicional, o medicamento tópico

(spray nasal) é sempre útil. Foto: Shutterstock

Dor de cabeça, febre, cansaço, coriza e perda de apetite são alguns dos sintomas dessa incômoda inflamação que acomete as mucosas dos seios da face. Saiba três formas de se livrar da sinusite crônica:

Na medicina tradicional, o tratamento da sinusite crônica pode ser tanto clínico quanto cirúrgico. No primeiro, para aplacar a infecção e a inflamação, usam-se antibióticos e corticosteroides sistêmicos (via oral), respectivamente, quando não há contraindicação. O medicamento tópico (spray nasal) é sempre útil nesses casos. A otorrinolaringologista Mayra de Freitas Centelhas Martinelli explica que o tratamento associado da rinite é essencial, pois esta é uma das principais causas da sinusite crônica. “Se o controle dos sintomas não é atingido por meio desta terapia, a cirurgia é indicada para drenagem da secreção e aeração eficiente dos seios da face, diminuindo a inflamação da mucosa e restabelecendo a fisiologia nasal”. “A lavagem com soro fisiológico, várias vezes ao dia, é essencial em ambas as abordagens”, conclui a especialista.

O problema também pode ser tratado com o auxílio da acupuntura. E, para isso, é preciso que se investiguem suas causas, identificando os principais sintomas. Uma vez alcançados esses objetivos, o especialista indicará as melhores estratégias de tratamento que podem até ir além da técnica oriental. “Uma vez firmado o diagnóstico de sinusopatia crônica, a neuromodulação proporcionada por procedimentos de acupuntura será eficiente para produzir efeitos anti-inflamatórios e analgésicos”, esclarece o médico Fernando Genschow. Segundo o especialista, tal procedimento desobstrui o fluxo de ar por meio da vasoconstrição nasal por via neural reflexa. Em paralelo, trata-se a rinite alérgica, que geralmente propicia o desenvolvimento de sinusites.

Quem opta por tratamento fitoterápico pode encontrar uma variedade de plantas usadas popularmente para o controle da enfermidade, como o eucalipto e a equinácea, por exemplo, em razão de suas propriedades terapêuticas: ação descongestionante e estimulante do sistema imunológico. Importante ressaltar que mesmo se tratando de uma opção natural, o uso nos casos crônicos e agudos devem ser orientados por um profissional devidamente treinado. Para o farmacêutico Sergio Tinoco Panizza, uma planta tradicional brasileira, conhecida como buchinha do norte ou cabacinha (Luffa operculata), tem efeito altamente benéfico em ambos os casos. “Ela tem ação fluidificante e drenadora das secreções existentes nas fossas nasais, rinofaringe e seios paranasais e auxilia na restauração fisiológica da mucosa nasal”. A ressalva é que as doses sejam personalizadas, pois há risco de efeitos indesejados. “Estudos revelam que há relatos frequentes de sensibilidade nasal, epistaxe (sangramento) e anosmia (perda total do olfato)”, conclui Panizza.

 

Revista VivaSaúde edição 121

 



COMENTE!