Viva Saúde
Edição 6 - Outubro/2004
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  Caju: saúde em dose dupla
A parte amarela ou vermelha é apenas a haste que sustenta a verdadeira fruta, a castanha. Mas como ambos possuem inúmeros benefícios, você só tem a ganhar com seu consumo

POR YARA ACHÔA

O caju é um alimento intrigante: sua parte carnosa, cuja cor pode ser amarela ou vermelha, chama-se pseudofruto e tem a função de 'sustentar' a castanha, este sim o verdadeiro fruto da planta. Nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, ele é 'figura' das mais populares. Está presente na poesia, nos ditados populares, nas crendices, no folclore e, claro, na culinária. Graças ao aroma e sabor deliciosos sua fama já se espalhou por todo o país e até o exterior. "Os alimentos nas cores amarela, laranja e vermelha possuem carotenóides, principalmente betacaroteno e licopeno, que reforçam a defesa imunológica e diminuem as chances de se desenvolver câncer ou outra doença degenerativa", revela a professora Maria Spínola, da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal da Bahia.

Sangue bom e ossos fortes
A polpa possui sumo aromático, às vezes muito doce, outras mais ácido ou azedo. O que não muda nunca é a elevada presença de vitamina C. Aliás, nesse quesito, o caju só perde para a acerola. Para se ter idéia, a quantidade da substância em 200 ml de suco de acerola é de 1.500 mg; no de caju, 200 mg; e no de laranja, apenas 40 mg. "Nosso organismo precisa só de 60 mg desse componente por dia. Poderoso antioxidante, está associado até à prevenção do risco de catarata", diz Maria Spínola.

Para provar que o pseudofruto ainda dá muito caldo, a nutricionista potiguar Elma Wartha está desenvolvendo um estudo exclusivo sobre a polpa e o suco do caju, junto com o farmacêutico bioquímico Jorge Mancini Filho na Universidade de São Paulo (USP). "As pesquisas apontam que, devido aos compostos fenólicos existentes no alimento, seu consumo estaria prevenindo até doenças do coração", afirma Elma.

A lista de benefícios não pára de crescer. O químico e fitologista Lelington Lobo Franco (PR), autor do livro Frutas - Caminho para Saúde (Ed. Vozes), diz que a presença de ferro e cálcio, entre outros minerais, ainda é eficaz para combater a anemia e fortalecer os ossos. "O alimento deveria fazer parte do cardápio diário de crianças e gestantes", recomenda.

Já a castanha, o fruto propriamente dito, também traz suas vantagens. Integrante do seleto grupo das frutas oleaginosas (ao lado de nozes e amêndoas, entre outros), é rica em ácidos graxos poliinsaturados e, por isso, ajuda a combater o LDL ou o 'mal colesterol'. Mais: graças ao zinco e ao selênio, diminui a chance do aparecimento de câncer no organismo (especialmente o de próstata, que atinge o homem); suas fibras ajudam a limpar e a proteger as paredes intestinais; e, por possuir bom teor de cálcio, previne contra a osteoporose. Acredite, a castanha também pode ajudar na dieta e no controle de peso. É só não exagerar, visto que 100 g do produto corresponde a cerca de 570 calorias "Cinco ou seis delas antes da refeição são suficientes para se sentir saciado mais rápido e por mais tempo", garante o médico norte-americano Michael Roizen, autor dos best sellers Idade Verdadeira e A Dieta da Idade Verdadeira (Editora Campus).

Versátil, o caju vai bem em sucos refrescantes e nos mais variados tipos de doces, como sorvetes, compotas e tortas. Ao lado, você confere uma dessas deliciosas receitas.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.