Viva Saúde
Edição 42 - Março/2007
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  Problema de cálculos
Depois de anos de má-digestão, enjôos e dores de cabeça, a vesícula "desperta" com uma cólica insuportável - na verdade, isso é conseqüência da tentativa de algumas "pedrinhas" passarem pelas estreitas vias biliares. Saiba como a medicina pode retirar estes obstáculos do caminho

POR JANETE TIR
ILUSTRAÇÃO MG STUDIO

Limpando a área
O tratamento para os problemas de cálculo na vesícula podem ser feitos de várias maneiras. Uma é com medicamentos que ajudam a dissolver a solução dentro da vesícula, evitando a formação de pedras. É um tratamento que leva de seis meses a um ano, é caro e nem sempre resolve o caso. Existe também a tentativa de eliminação das pedras com ondas de choque - chamada de litotripsia -, semelhante ao tratamento para a destruição de pedras nos rins.

Mas a remoção cirúrgica da vesícula, ou colecistectomia, é a opção escolhida pela maioria dos médicos, depois de o paciente ter passado por uma bateria de exames, sendo o principal e o mais decisivo a ultra-sonografia. Só assim o distúrbio é efetivamente erradicado. E essa escolha também é feita porque as cirurgias convencionais - que até alguns anos atrás deixavam uma cicatriz de 20 a 30 cm de extensão, portanto, mais sujeitas a complicações e com uma internação de, no mínimo, cinco dias - foram deixadas de lado. "Hoje, com a videolaparoscopia, a cirurgia dura de duas a quatro horas, dependendo da anatomia do paciente, e a internação caiu para dois ou três dias. Os cortes têm apenas meio centímetro e a recuperação no pós-operatório é bem mais rápida", garante o médico.

E não faz falta?
Como a vesícula biliar armazena a bile e a joga no intestino somente quando há necessidade, com a sua retirada o próprio fígado se encarrega de enviar o líquido digestivo. Só que ele faz este trabalho constantemente e não somente quando é preciso. "Depois da cirurgia é comum ocorrer má digestão e diarréia. Estes sintomas podem ser, perfeitamente, controlados com medicação. E esse desconforto é temporário até que o organismo se adapte a esse novo sistema. Daí a digestão volta a se regularizar", tranqüiliza Vitório Kemp.

Normalmente, a melhora no pós-cirúrgico é gradual e constante. E em três ou quatro semanas é possível voltar às atividades normais. A videolaparoscopia facilitou tanto que há médicos que indicam a cirurgia mesmo nos casos que não apresentam sintomas, tentando evitar possíveis crises e complicações pelos cálculos que já estão formados na vesícula e, também, uma cirurgia de urgência, sempre mais arriscada. Mas, médico e paciente fazem essa escolha juntos.

A RETIRADA DA VESÍCULA É UMA DAS OPÇÕES MAIS INDICADAS PELOS MÉDICOS NO TRATAMENTO (INCLUSIVE PREVENTIVO, EM PACIENTES QUE TÊM PEDRAS NO ÓRGÃO, MAS AINDA NÃO SENTEM DORES E OUTRAS COMPLICAÇÕES) DO CÁLCULO BILIAR, POIS O FÍGADO É CAPAZ DE EXERCER SEU PAPEL COM A MESMA COMPETÊNCIA

DIGESTÃO TRANQÜILA
A dieta para quem tem qualquer problema na vesícula ou passou por uma cirurgia, sofre algumas restrições. A principal delas é evitar alimentos gordurosos. Segundo a nutricionista Tânia Regina Bonetti, de São Paulo, entre os principais fatores de risco para distúrbios na vesícula biliar estão a obesidade, grande ingestão de gordura, diabetes não controlado e dietas muito restritivas com grande e rápida perda de peso. "Por isso é importante manter uma dieta balanceada, rica em fibras e pobre em gorduras", avalia a especialista. Veja aqui como controlar melhor a alimentação:

PARA CONSUMIR COM MODERAÇÃO
 Leite integral
 Queijos amarelos, requeijão
 Biscoitos amanteigados, tortas, pastéis, pães folhados
 Carnes gordas, lingüiça, embutidos, aves com pele, mocotó
 Lanches gordurosos com mortadela, presunto ou salame
 Ovos fritos e frituras em geral
 Enlatados
 Manteiga, maionese
 Frutas oleaginosas, como amendoim e castanha-do-pará
 Bebidas alcoólicas

ALIMENTOS QUE FAZEM BEM À VESÍCULA
 Leite desnatado, café, chá, suco de frutas
 Queijo cottage ou ricota, iogurte e coalhada desnatados
 Pão integral
 Arroz, grãos integrais e macarrão (sem molhos gordurosos)
 Frutas (com casca ou bagaço)
 Açúcar e mel
 Carnes magras cozidas ou refogadas, peixes e frango grelhados
 Clara de ovo cozida
 Fibras encontradas em grãos integrais e vegetais

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.