Viva Saúde
Edição 42 - Março/2007
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  enxaqueca: CORTE O MAL PELA BOCA
Além dos remédios, é possível prevenir e reduzir a quantidade e a intensidade das crises por meio da alimentação. O alívio aparece, em média, depois de três meses

POR ADRIANA TEIXEIRA

Enxaqueca é a mais conhecida das cefaléias - o termo técnico para dor de cabeça. Não é a única, já que a Sociedade Internacional de Cefaléia reconhece mais de 150 modalidades do distúrbio, e também não se manifesta da mesma forma para todos: há pessoas que relatam palpitações em toda a cabeça, outras, por exemplo, pontadas localizadas. Apenas um aspecto é comum: qualquer um, dos estimados 35 milhões de brasileiros que sofrem com esse problema, daria tudo para solucionálo de uma vez por todas.

Só nos últimos anos, a indústria farmacêutica lançou inúmeros medicamentos eficazes para o tratamento de enxaquecas e com mínimos efeitos colaterais. Ainda assim, há vários pacientes que não respondem satisfatoriamente às pílulas e, por isso, necessitam usar essas medicações várias vezes na semana. Se você, ou alguém próximo, faz parte desse grupo, sabe bem os transtornos que acompanham essa enxaqueca no diaa- dia (mal-estar, indisposição, enjôo, falta no trabalho), e o quanto seria bom encontrar uma forma de evitar pelo menos as crises agudas.

A boa notícia é que há sim um tratamento preventivo capaz de minimizar a necessidade de medicamento. Mas não espere um milagre ou uma saída mágica e complicada. A velha e tão recomendada alimentação saudável é um santo remédio. Quem garante a sua eficácia é o médico Alexandre Feldman, um dos maiores especialistas em cefaléias do país, membro ativo da Sociedade Americana de Cefaléia (American Headache Society) e fundador da Associação Brasileira para a Prevenção da Enxaqueca.

LISTA DOS ALIMENTOS PROIBIDOS:
Os itens abaixo devem ser totalmente suspensos das suas refeições somente por três meses, por conterem substâncias que comprovadamente acentuam os sintomas de enxaqueca. Para fazer as substituições, confira a LISTA DOS ALIMENTOS LIBERADOS, seguindo as recomendações quanto ao modo de preparo.

 Leite de vaca
 Café, chás, guaraná em pó
 Sucos, inclusive os naturais, e refrigerantes
 Açúcar, adoçantes, mel
 Pães, massas, batatas, mandiocas, amidos em geral e farináceos
 Óleos vegetais (exceto os da lista dos permitidos)
 Margarina, gordura hidrogenada vegetal
 Frango, moluscos, camarões e frutos do mar, embutidos, enlatados
 Glutamato monossódico e aditivos artificiais
 Frituras e alimentos muito gordurosos

Entenda a dor
A enxaqueca é uma doença crônica, causada por uma disfunção transitória do cérebro.

A dor é geralmente do tipo pulsátil, latejante, em um lado da cabeça, acompanhada por náusea, às vezes vômitos e sensibilidade a luz e sons. Este tipo de cefaléia está presente em 10% a 20% dos indivíduos. Uma série de evidências liga o distúrbio aos hormônios sexuais femininos, estrógeno e progesterona. Por isso, ela é mais freqüente entre as mulheres (18%) do que em homens (6%). Influenciada por diversas mudanças hormonais ao longo da vida feminina, tais como, menstruação, uso de contraceptivos orais, menopausa, gravidez e terapia de reposição hormonal - em 60% dos casos as crises de enxaqueca estão ligadas à tensão prémenstrual (a TPM).

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.