Viva Saúde
Edição 36 - Dezembro/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

sete perguntas para um especialista
  VEM CHEGANDO O VERÃO... e a dengue
Com o calor e as chuvas da temporada - condições ideais para a reprodução do Aedes aegypti - é preciso intensificar os cuidados básicos para não haver proliferação da doença

POR YARA ACHÔA

1 O QUE É DENGUE?
Trata-se de uma doença febril aguda. A pessoa pode adoecer quando o vírus penetra no organismo, pela picada de um mosquito infectado, o Aedes aegypti. Se o mosquito estiver contamindo, o período de incubação varia de três a 15 dias, sendo que a média é de cinco a seis dias.

2 QUAIS SÃO OS SINTOMAS?
Os mais comuns são febre, dores pelo corpo, nas articulações e dor de cabeça. Mas podem surgir manchas vermelhas na pele e, em alguns casos, sangramento, mais comum nas gengivas. Diante desses sintomas, deve-se buscar ajuda médica.

3 COMO É FEITO O TRATAMENTO?
Não há procedimento específico para o paciente com dengue clássico. O médico deve tratar os sintomas, como as dores de cabeça e no corpo, com analgésicos e antitérmicos (paracetamol e dipirona). Devem ser evitados os salicilatos, como o AAS e a Aspirina, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. É importante também que o paciente repouse e beba bastante líquido. Já os pacientes com Febre Hemorrágica do Dengue (FHD) devem ser observados cuidadosamente para identificação dos primeiros sinais de choque, como a queda de pressão. O período crítico ocorre durante a transição da fase febril para a sem febre, geralmente após o terceiro dia da doença. A pessoa deixa de ter febre e isso leva a uma falsa sensação de melhora, mas em seguida o quadro clínico do paciente piora. Em casos menos graves, quando os vômitos ameaçarem causar desidratação, a reidratação pode ser feita em nível ambulatorial. Alguns dos sintomas da dengue só podem ser diagnosticados por um médico.

4 A DOENÇA PODE LEVAR À MORTE?
Mesmo na forma clássica, dengue é uma doença séria. Caso a pessoa seja portadora de algum distúrbio crônico, como problemas cardíacos, devem ser tomados cuidados especiais. No entanto, a dengue é mais grave quando se apresenta na forma hemorrágica. Nesse caso, se tratada a tempo, não há risco de morte.

5 QUAIS OS CUIDADOS PARA NÃO SE PEGAR DENGUE?
Como é praticamente impossível eliminar o mosquito, deve-se identificar objetos que sirvam de criadouros ao inseto transmissor. Por exemplo, uma bacia no pátio de uma casa e o pneu abandonado representam riscos, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos nestes locais. O único modo é limpar e retirar tudo o que possa acumular água e oferecer perigo. Em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências.

6 A PESSOA QUE JÁ TEVE DENGUE PODE PEGAR NOVAMENTE?
Sim, mas nunca será o mesmo tipo de vírus. Ao contrair dengue, o indivíduo fica imune contra o tipo de microrganismo que provocou a doença, mas ainda poderá ser contaminado pelas outras três formas conhecidas do vírus da enfermidade. São conhecidos quatro sorotipos: 1, 2, 3 e 4, sendo que no Brasil não existe circulação do tipo 4. E atenção: não há possibilidade de transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, nem de fontes de água ou alimento.

7 EXISTE VACINA CONTRA A ENFERMIDADE?
Ainda não, mas as comunidades científicas internacional e brasileira trabalham firme neste propósito. Estimativas indicam que deveremos ter um imunizante contra a dengue em cinco anos. Isso porque a vacina contra a dengue é mais complexa que as demais.

Jarbas Barbosa, médico infectologista, secretário executivo do Ministério da Saúde

FOTOS: FERNANDO GARDINALI E DIVULGAÇÃO/MINISTÉRIO DA SAÚDE


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.