Viva Saúde
Edição 35 - Novembro/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  O mito da pressão baixa
Segundo alguns médicos, o mal-estar que muita gente sente em determinadas situações, não tem a ver com QUEDA DE PRESSÃO - é apenas uma defesa do corpo

POR AGUINALDO PETTINATI

FOTOS: SÍMBOLO IMAGENSAo sentir uma indisposição momentânea, daquelas em que a cabeça parece girar, o corpo fica enfraquecido e a visão escurece, quem nunca soltou a frase 'minha pressão caiu'?

No entanto, muitas vezes, essa sensação desagradável que pensamos ser queda de pressão é apenas um esforço do corpo para se adaptar a uma nova condição ambiental. "Basta o aparecimento de qualquer sintoma, como tontura, para as pessoas relacionarem esse estado com pressão baixa. Porém, em mais de 90% dos casos o problema não existe", afirma o médico Paulo Olzon, chefe da disciplina de clínica médica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Segundo o especialista, também se trata de uma lenda o fato de achar que em regiões quentes, como praias, a pressão tende a baixar.

Da próxima vez que imaginar que sua pressão está caindo, portanto, lembre-se de que, na verdade, pode ser apenas o seu organismo fazendo um esforço para se adaptar ao ar úmido e à pressão atmosférica do local.

Por trás do mal-estar
Outra situação que pode desencadear a sensação de uma breve queda de pressão é quando a posição do corpo é mudada repentinamente. É que esse movimento altera subitamente a circulação do sangue. "Quando se está deitado e se levanta muito rápido, por exemplo, o corpo reduz a quantidade de sangue enviada ao coração e ao cérebro. Então o organismo tenta equilibrar esse fluxo de sangue contraindo e dilatando os vasos", explica o médico.

A prática intensa de exercício físico e a produção excessiva de suor também fazem com que a quantidade de sangue diminua, provocada pela desidratação, e cause o mal-estar. Mas em tal situação, de acordo com o profissional da Unifesp, o problema pode ser controlado com a simples ingestão de água.

As mulheres são as que mais reclamam dessa sensação desagradável. O médico Paulo Olzon acredita que se trata mais de um sintoma emocional do que propriamente físico. "A ansiedade excessiva, por exemplo, faz com que a pessoa respire rápida e profundamente, baixando os níveis de gás carbônico no sangue", explica o médico. "Quando isso ocorrer, minha sugestão é que se procure respirar dentro de um saquinho plástico para recuperar o gás carbônico perdido", ensina. Vale lembrar ainda que outras medidas, como tomar água ou colocar o queixo próximo ao pescoço são somente estratégias para acalmar o indivíduo - não têm efeito terapêutico.

Qual a relação com o desmaio?
Apesar de a hipotensão (o nome oficial da pressão baixa) com freqüência causar desmaios, alguns sintomas comuns no dia-a-dia - como tontura, escurecimento da visão e fraqueza -, nem sempre têm relação com a queda de pressão. E na maioria das vezes esses sinais não colocam em risco a vida das pessoas, segundo o médico Paulo Olzon.

"Alterações neurológicas e cardíacas graves, além das psiquiátricas, podem se manifestar inicialmente por meio de desmaios", alerta o médico Marcello Scattolini, de São Paulo. Ou seja, distúrbios como alguns tipos de derrame e até mesmo uma parada cardía ca podem causar a perda súbita da consciência. "Por isso, sempre que houver uma associação do desmaio com outros sintomas, o médico deve ser procurado", avisa o clínico.

Um último e importante aviso: indivíduos que têm episódios constantes de pressão baixa não estão imunes de sofrer de hipertensão (pressão alta) no futuro. Portanto, cuidado com a história de recorrer ao sal para ajudar a elevar a pressão.

 

FOTOS: SÍMBOLO IMAGENSO QUE ACONTECE QUANDO A PRESSÃO CAI

Imagine uma casa na qual o encanamento está com problemas. Toda vez que alguém abre uma torneira, a água sai em pouca quantidade.

Isso pode acontecer, por exemplo, pela diminuição da força com que o líquido é bombeado para o reservatório da casa ou mesmo pela dilatação dos canos, o que provoca igualmente a perda de pressão. A analogia serve de explicação para o que acontece com o corpo quando a pressão cai. "No organismo, o problema (conhecido cientificamente como hipotensão arterial sistêmica) é determinado pela diminuição da força de contração ou freqüência das batidas produzidas pelo coração ou pela dilatação dos vasos sangüíneos", expõe Marcello Scattolini, assistente da disciplina de Clínica Médica da Unifesp.

 


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.