Viva Saúde
Edição 28 - Agosto/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

Descubra as diversas áreas da medicina
  O MÉDICO QUE CUIDA DE NARIZ, ORELHA E GARGANTA
O otorrinolaringologista é o médico indicado para tratar doenças ligadas a esses órgãos, inclusive a realização de cirurgias estéticas da face

POR VICTOR FERREIRA

FOTO: SÍMBOLO IMAGENS
Crianças são pacientes freqüentes desse especialista
A otorrinolaringologia (oto = ouvido, rino = nariz, laringo = laringe) é muito ampla em relação aos estudos da face, pois não trata somente as doenças, mas também a parte estética que envolve toda a cabeça, com exceção do cérebro, olhos e dentes. Devido à sua amplitude, inclusive, o especialista desta área divide funções com vários outros, como o alergologista ou ainda o cirurgião plástico.

A principal função do otorrinolaringologista (ou, para abreviar, 'otorrino') é a de cuidar da audição, respiração, voz (englobando as cordas vocais), garganta e de tudo que estiver relacionado a isso, como o sono e as alergias das vias respiratórias. Cirurgias da face em geral também podem ser tratadas por ele, algumas, inclusive, de tumores que atingem parte do cérebro, e cirurgias no pescoço. Ele ainda faz plásticas estéticas em toda a face.

Geralmente o profissional é procurado após indicação de um outro médico, na maioria das vezes um clínico-geral ou pediatra. Entretanto, o presidente da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, Richard Louis Voegels, alerta. "Quando o paciente percebe que está com problemas relacionados aos ouvidos, nariz ou garganta, pode e deve procurar diretamente um otorrino. O clínico- geral saberia tratar uma otite (dor de ouvido) ou uma amidalite (dor de garganta) simples, mas o otorrinolaringologista é o especialista da área".

Os sintomas que mais levam pacientes a este médico são obstrução nasal, o hábito de dormir de boca aberta e todas as outras alterações do sono provocadas por problemas respiratórios, inclusive o ronco. Essas alterações acabam sendo preocupantes, pois é comum encontrar pessoas dormindo mal por questões respiratórias, o que influi na qualidade de vida. As doenças infecciosas que acometem o nariz, a orelha e a garganta, como otite, amidalite, faringite (inflamação da faringe), sinusite (inflamação dos seios da face) e rinite (inflamação da mucosa nasal) também levam muitos pacientes aos consultórios e ainda todos os tipos de alterações da voz, como a rouquidão.

Nova realidade

Nos Estados Unidos, cerca de 75% das operações estéticas da face são feitas pelo otorrino. No Brasil, isso também começa a ocorrer: em Curitiba, por exemplo, a maioria das plásticas faciais ocorrem pelas mãos do especialista.

No Brasil existem mais de 6500 otorrinolaringologistas e, por ano, se formam cerca de 220 novos profissionais. O futuro médico cursa seis anos de faculdade e faz mais três anos de residência médica em otorrinolaringologia.

CUIDADOS SEMPRE NECESSÁRIOS
   Evite situações que gerem refluxo de ácido (a popular azia), como jantar e dormir em seguida.
 Não consuma cafeína em excesso, que é ácida e irrita as cordas vocais.
 Profissionais que se utilizam muito da voz, como professores, devem consultar um especialista para fazer bom uso das cordas vocais.
 Ao sair da piscina ou mar, pingue uma ou duas gotas de álcool etílico no interior da orelha, para secar a umidade deixada pela água.
 Lave o nariz com soro fisiológico. Além de mantê-lo descongestionado e limpo, não obstrui o canal entre o aparelho auditivo e o nariz.
 Não tente limpar o interior da orelha com hastes com ponta de algodão.
   

 


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.