Viva Saúde
Edição 18 - Outubro/2005
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  Açúcar em baixa
Tremedeira, suor frio, irritação, tontura, entre outros sintomas, podem apontar um quadro de hipoglicemia - distúrbio caracterizado pela queda brusca de glicose no sangue. Mas é bom investigar as causas, já que o problema é sério

ROSE MERCATELLI

Nível alterado
Muitas vezes os sintomas da hipoglicemia são similares aos de uma crise de ansiedade. Além dos tremores e sudorese, ainda podem aparecer desmaios. Nos casos mais graves, quando um exame de laboratório indica níveis abaixo de 40 mg/dl, também podem surgir tontura, confusão mental, fadigas, dores de cabeça, alterações visuais e motoras, incapacidade de concentração, sinais estes que costumam ser confundidos com embriaguez.

Tudo é conseqüência da baixa oferta de açúcar para o sistema nervoso central. O cérebro, particularmente, é muito sensível à falta de glicose. Quando isso acontece, o sistema nervoso envia uma ordem às glândulas supra-renais para liberar mais adrenalina. Este hormônio, por sua vez, estimula o fígado a liberar glicogênio para que o organismo não venha a sofrer um colapso. Segundo o endocrinologista Leão Zagury, um exemplo do que pode fazer um quadro de hipoglicemia grave foi mostrado durante a maratona dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984, quando o mundo inteiro se comoveu com a situação da maratonista suíça Gabrielle Andersen- Scheiss. Cambaleante e desequilibrada, ao entrar no estádio Coliseu a atleta demorou sete longos e angustiantes minutos para percorrer dramaticamente os últimos 400 metros dos 42 quilômetros da prova, acompanhada de perto pela equipe médica do Comitê Organizador. "Ela apresentou um quadro grave de hipoglicemia funcional, no qual seu fígado não conseguiu repor a glicose necessária em sua corrente sangüínea", relata o médico. Para quem sofre com uma baixa glicêmica decorrente da falta de alimentação pura e simples é fácil reverter a situação. Basta ingerir açúcar de ação rápida, como um pedaço pequeno de chocolate ou um copo de suco de frutas que os sintomas desaparecem em minutos. É bom lembrar que nem sempre o sinal de tanque quase vazio é resultado da falta de comida. Existem outras razões que podem ser responsáveis por essa queda brusca de açúcar no sangue.

QUANTA DIFERENÇA!
 


É importante o controle da quantidade de açúcar no sangue. Por isso, nunca é demais saber dos possíveis sintomas que podem aparecer quando a glicose está acima ou abaixo dos níveis desejáveis no sangue.

SINTOMAS HIPERGLICEMIA HIPOGLICEMIA
Início do quadro
Lento Súbito
Sede
Muita Inalterada
Urina
Muita Quantidade inalterada
Fome Muita Muita ou normal
Perda de peso
Freqüente Não
Pele
Seca Normal ou úmida
Mucosa da boca
Seca Normal
Suores
Ausentes Freqüentes e frios
Tremores
Ausentes Freqüentes
Fraqueza Presente Sim ou não
Cansaço Presente Ausente
Hálito cetônico Presente ou ausente Ausente
Glicose no sangue Superior a 200 mg/dl 40 a 60 mg/dl ou menos
FONTE: SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES
   

Queima rápida
Há várias causas para o distúrbio, que vão das mais simples, como hábitos alimentares inadequados, às mais complexas, como tumores no pâncreas ou disfunções glandulares. Por isso, nem sempre é fácil o médico descobrir o caminho para controlar o problema.

"Um dos casos mais freqüentes de hipoglicemia é o do diabético que usa insulina injetável ou medicação oral para controlar a glicose. A medicação pode levar a uma queima rápida da glicose e a um quadro de hipoglicemia", diz Leão Zagury. Outros motivos associados à hipoglicemia do diabético podem ser longos períodos sem alimentação ou excesso de exercícios sem o monitoramento devido da glicose no sangue.

Em outros pacientes com diagnóstico de hipoglicemia, os sintomas podem aparecer, porém nem sempre o nível de açúcar está alterado: "Esse tipo de distúrbio pode ser fruto da ansiedade, do nervosismo e das tensões acumuladas pelo estresse. Em muitos casos, os níveis de açúcar, se feito um exame no momento, apresentam-se próximos à normalidade. Porém, mesmo assim o paciente mostra os sinais de uma hipoglicemia", avisa o endocrinologista Saulo Cavalcanti da Silva (MG), coordenador do Departamento de Complicações Crônicas da Sociedade Brasileira de Diabetes e professor de endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas de Belo Horizonte.

Existe também um tipo conhecido como hipoglicemia reativa, que aparece, em geral, logo após as refeições. "Esta não é uma doença, mas um mau hábito alimentar. Costuma surgir em pessoas que comem muito carboidrato, como massas, pães ou doces. Diante desse exagero de estímulos, o pâncreas lança uma grande quantidade de insulina na corrente sangüínea, originando uma rápida queima de glicose no sangue", diz Maria Rosária Cunha, endocrinologista do Hospital São Camilo, em São Paulo.

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | Próxima >>


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.