Viva Saúde
Enciclopédia - Novembro/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  ABC da cirurgia plástica
Conheça as técnicas mais utilizadas para corrigir problemas estéticos e de saúde, e informe-se sobre anestesias, cicatrizes e outros assuntos importantes do gênero

POR HELOÍSA NORONHA
FOTOS CAIO MELLO

Ginecomastia (mamas)
Também chamada de plástica para redução de mamas em homens, serve ainda para corrigir casos em que há assimetrias. Essa cirurgia pode ser feita a partir dos 18 anos, desde que o paciente encontre-se no peso ideal. Se a causa da deformidade for gordura, uma lipoaspiração é capaz de solucionar o problema. No caso de excesso de glândula mamária, é necessária uma incisão com bisturi, que pode retirar também o excesso de pele.

Lipoaspiração (corpo)
Consiste na aspiração de gordura localizada por meio de cânulas (pequenos tubos de 2 a 6 mm) conectadas a seringas ou ligas a um aparelho de sucção. Elas são introduzidas no corpo por um corte de até 5 mm, até a camada de gordura, e atuam na retirada das células gordurosas. A finalidade básica é redefinir os contornos corporais. É possível fazer lipo em mais de uma região do corpo, desde que o limite de retirada de gordura não ultrapasse 5% do peso corporal do paciente. As áreas que podem ser mexidas são: pescoço (papada), costas, braços, barriga, abdômen, bumbum, parte interna das coxas, joelhos e culotes. A maioria das intervenções exige anestesia geral. A cirurgia não é indicada para pessoas acima de 55 anos, idade em que a pele já não apresenta mais a elasticidade necessária para uma retração ideal sobre a camada de gordura. A lipo no abdômen requer atenção redobrada, a fim de não perfurar o intestino. A cirurgia dura três horas. Os resultados surgem após o terceiro mês, quando o inchaço e as cicatrizes desaparecem. Após o procedimento é preciso usar uma cinta compressora por algum tempo. A cirurgiã Deusa Rodrigues complementa que nem sempre as pessoas que se submetem à lipoaspiração sofrem de excesso de peso. "Existe gente magra que mesmo malhando não se livra da gordurinha incômoda na barriga. O problema é o acúmulo de células adiposas e só esse processo é capaz de resolvê-lo."

Lipo ultra-sônica (corpo)
A gordura é retirada por meio de cânulas que produzem ondas ultrasônicas para romper e explodir as moléculas de gordura, deixando-as mais líquidas e fáceis de serem aspiradas. O método é polêmico porque durante a emissão do ultrasom, as cânulas produzem altos índices de radicais livres e lesões térmicas na pele acima da gordura.

Lipoescultura (corpo)
Técnica de retirada através de aspiração de gordura localizada e de seu reaproveitamento como enxerto para preenchimento em outra área. A gordura é lavada quimicamente e filtrada. Depois, é reinjetada com seringa nos locais onde há depressão e má definição corporal.

Mastoplastia de aumento (seios) Consiste no implante de silicone nos seios e só é permitida depois dos 16 anos, quando a mama já está formada. A prótese pode ser colocada em um corte ao redor da aréola, no meio dela, na área abaixo dos seios ou nas axilas. Há a possibilidade, também, de alojá-la na frente ou atrás do músculo. O maior risco é o da contratura, cicatriz interna que pode provocar um leve endurecimento ou o endurecimento total, com muitas dores, obrigando a paciente a retirar a prótese. A cirurgia demora cerca de quatro horas. Muitas mulheres perdem a sensibilidade na região nos três primeiros meses. Se o problema continuar após o período, é preciso consultar o médico. A anestesia é local e os pontos são retirados após 10 dias.

Mastoplastia redutora (seios)
Indicada para mulheres com mamas grandes e pesadas, desproporcionais em relação ao peso e à altura e que causam problemas posturais e de coluna. Por meio de uma incisão, cujo formato depende do formato da mama, o médico retira o excesso de glândula mamária e/ou gordura, elimina o excesso de pele, reposiciona a aréola e sutura. A operação também demora cerca de quatro horas e requer anestesia geral. A cicatriz clareia com o tempo, mas é perceptível.

Mastoplastia remodeladora (seios)
Ideal para corrigir seios caídos ou flácidos, devido às gestações ou à idade. A variação de anestesia depende de cada caso e a intervenção leva aproximadamente quatro horas. O corte segue o mesmo princípio da mastoplastia redutora, sendo que o cirurgião reposiciona a glândula mamária e o tecido muscular com pontos internos. Seja qual for o tipo de operação nos seios, as atividades podem ser retomadas em 10 dias. Durante a convalescença é necessário evitar práticas físicas que exijam esforço e usar um sutiã reforçado.

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | Próxima >>


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.