Viva Saúde
Enciclopédia - Novembro/2006
 
Sumário da Edição
Edições Anteriores
Editorial
Sala de Espera
Consultório Médico
Aconteceu Comigo
Raio x
Leveza à Mesa
Atividade física
Saúde Natural
Mundo Infantil
Olho Clínico
Mais Vitalidade
Onde Encontrar
Internet
 
Exclusivo assinantes
Fale conosco
Assine já
Anuncie
 

  A importância dos sentimentos
Para ter sexo de qualidade e mais prazer na vida é necessário esforços mútuos e contínuos, que envolvem atitudes, palavras, toques de carinho

por Jurema Aprile

fotos fernando gardinali
Uma boa receita para ficar de bem com a vida é curtir uma paixão - e sexo faz parte desse envolvimento. Pesquisadores americanos constataram que o amor provoca uma revolução química no corpo e na mente. O simples fato de estar perto do ser amado ou sua lembrança liberam a noradrenalina e a dopamina na corrente sangüínea. Essas substâncias fazem o coração bater forte, a respiração acelerar e deixam as pessoas mais confiantes e felizes.

Mas se estar apaixonado é como viver um 'conto de fadas', a rotina entra no papel de vilã na história dos relacionamentos. Não há amor que resista a um cotidiano repetitivo e desinteressante. E o maior risco é quando se perde a intimidade. "O desejo despenca na medida em que os casais deixam de se beijar, de tomar banho juntos, de sair para passear, conversar, dançar", diz o psicólogo Moacir Costa. Não é um problema do homem ou da mulher, mas da relação entre eles. É muito comum o casal se acomodar e daí desenvolver um relacionamento fraternal, ou mergulhar num estado de intolerância, de quase indiferença. "Está provado que a sexualidade não se mantém facilmente mesmo quando há amor. É preciso criar situações novas e estimulantes", alerta.

Sem perder a ternura
Com a rotina, o beijo costuma acabar primeiro que o sexo. As relações tornam-se mecânicas, sem a euforia do contato físico. Aqui vai um dado que apresenta a importância do beijo: ele foi eleito, depois da penetração vaginal, a prática sexual preferida de 81% das mulheres e - acredite - de 88% dos homens, em pesquisa feita pela Universidade de São Paulo. "A tônica de qualquer relacionamento é o namoro", diz a terapeuta sexual Aparecida Favoreto. "Quando se consegue manter o clima de romance, não há desgaste na convivência. Ao contrário, se houver prazer, a passagem do tempo só faz melhorar o sexo. O problema é que as pessoas não se tocam, não conversam. Intimidade é muito mais do que ficar sem roupa na frente do outro. É preciso incrementar, investir nos momentos a dois", acrescenta.

Outras situações muito relatadas como detonadoras do romantismo e do bem-querer envolvem relações com muita discórdia ou luta pelo poder. Quando o ressentimento, a frustração e as mágoas se acumulam, o tesão acaba. Uma coisa, porém, é certa: a queixa de que algo vai mal no sexo é a porta-voz de um conflito emocional. O sintoma é um pedido de socorro feito pela mente - e nesse caso, a terapia é o caminho mais indicado.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Faça já sua busca
no site da revista Viva Saúde


Copyright © 2008 - Editora Escala
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.